5 dicas para escolher os melhores fundos imobiliários

Fundos imobiliários (FIIs) funcionam como outros fundos de investimento, porém, os gestores administram carteiras com ativos do setor imobiliário. Então, são veículos que facilitam a vida dos investidores que queiram lucrar nesse mercado. 

A partir da captação de recursos dos investidores, a gestora adquire novos empreendimentos urbanos ou rurais, já construídos ou em processo de construção, bem como, títulos de crédito imobiliário.

O setor vinha em expansão antes da pandemia, mas com o início e a continuidade da emergência sanitária, esse mercado experimentou um período turbulento e ainda é rodeado de incertezas.

Pensando nisso, Caio Araújo, analista responsável por FIIs da Empiricus, lista 5 dicas essenciais para os iniciantes nesse tipo de investimento. Confira:

Diversifique

O investimento FIIs salta aos olhos, pois se trata de um investimento com preço baixo de compra. Para se ter uma ideia, com R$ 100 você já consegue comprar uma cota de um fundo na bolsa de valores. 

Mas atenção, pois assim como todos os investimentos, a dica de ouro sempre será a diversificação da sua carteira. O objetivo, como explica Caio, é a diluição de riscos e a possibilidade de maior retorno.

Portanto, ter uma carteira de FIIs que conte com títulos imobiliários e fundos de “tijolos” é uma excelente alternativa quando se pensa na volatilidade do mercado.

Prepare-se

A ideia é genérica, mas essencial. Você deve entender no que está alocando os seus recursos e se isso é alinhado ao seu perfil e objetivos. Entrar nesse mercado pensando apenas no retorno, sem olhar para as características dos ativos de imóveis é um erro. 

Como pontua Araújo, você deve estar alinhado com a forma de administração da gestora e ciente de que o mercado é cíclico, ou seja, depende de fatores externos como a valorização dos aluguéis. 

Não tenha pressa 

Aqui vale o destaque que os proventos são mensais e, em alguns casos, isentos de imposto de renda

Contudo, ao investir em FIIS, você deve fazer uma análise criteriosa e evitar generalizações do tipo “vou comprar esse ativo, visto que no último mês o fundo pagou bastante”.

A ideia é focar no longo prazo e entender a proposta do fundo, verificar o track record dos gestores sobre seus segmentos de atuação, custos, pagamento de dividendos, entre outros dados importantes. 

Reinvista os proventos

Outra dica simples é: se possível, reinvista os seus dividendos. Aqui você pode ganhar com os juros compostos e transformar esse lucro passivo em lucro ativo. Ou seja, você coloca o seu dinheiro para trabalhar para você.

Acompanhe a gestão

Por último, acompanhe mensalmente as movimentações da gestão dos fundos que você investiu, através dos relatórios que são divulgados.

Deixar de lado os cuidados com o seu dinheiro é uma péssima aposta. Ter em mente o preço final do fundo e por que ocorrem pagamentos maiores e outros menores em um dado período é essencial para a segurança do seu patrimônio.