5 formas de perder muito dinheiro investindo

Vou ser sincero. Poupar dinheiro dá muito trabalho. É igual ir na academia ou fazer dieta. Você sabe que o resultado final vai ser bom, mas precisa de uma disciplina grande para conseguir chegar nesse resultado final.

O problema é que quando você poupa e investe, não necessariamente o resultado final é bom. Ele pode inclusive, ser pior do que o inicial.

Parece um pesadelo né? Na verdade isso acontece com muito investidores no Brasil. E esse fenômeno também faz com que muitos se recusem a investir por medo de perder dinheiro, deixando de lado uma excelente oportunidade de antecipar a sua independência financeira

Esse texto tem como objetivo trazer as 5 formas mais fáceis de perder dinheiro com investimentos para que você possa evitá-las ao máximo.

1 – Não planejar liquidez

Pense que você investiu R$20.000 num excelente fundo multimercado que tem uma liquidez de d+30. Isso significa que no momento que você solicitar um resgate, você receberá o dinheiro em 30 dias.

Vamos supor que você precisa de R$20.000 do dia pro outro.

Isso não seria um problema para um investidor com uma carteira balanceada, porque ele tem dinheiro alocado em ativos de alta liquidez.

O investidor desavisado que não se planejou quanto a liquidez tem um problema aqui. Não dá para esperar os 30 dias do fundo. Nesse momento que o investidor acaba solicitando um resgate antecipado.

Investidor que não planeja liquidez

Muitas corretoras dão a possibilidade do usuário resgatar o dinheiro antes, mas cobra por isso. Taxas de antecipação de resgate variam entre 10% e 20%. Isso significa que você escolheu o seu fundo a dedo, investiu o dinheiro lá e, no momento de resgatar, perdeu de 10% a 20% do seu valor só por não ter planejado melhor uma reserva de liquidez.

E isso não se limita a fundos. Títulos de renda fixa também podem ser resgatados antes do vencimento, geralmente com perdas de rentabilidade.

Quanto dá para perder: 

O valor da antecipação. Para fundos, é de 10% a 20%.

2- Ignorar custos

Investir seria muito mais fácil se não houvessem custos envolvidos. Um exemplo disso é são as carteiras recomendadas pelas corretoras. Elas geralmente batem o Ibovespa, mas deixam de levar em conta um fator importantíssimo: o custo.

Quando você segue elas a risca, fazendo as mudanças mensais que elas sugerem, você começa a ver o quanto o custo é capaz de corroer sua rentabilidade.

No exemplo que eu falei no post Carteira recomendada: 3 motivos para não seguir, a carteira teria 10% de rentabilidade no ano, mas os custos seriam de R$760. Isso significa que o investidor que coloca R$10.000 e deveria ter visto sua carteira crescer R$1.000, vê-la crescer apenas R$240.

Quanto dá para perder: 

O valor das taxas e corretagens por operação

3- Comprar na alta e vender na baixa

No papel, investir é muito fácil: é só comprar barato e vender caro. Na prática, o que muitos investidores fazem é justamente o contrário.

Mas por quê eles fazem isso?

A gente costuma subestimar o papel do psicológico no cotidiano do investidor. Quando você vê uma ação subindo muito, começa a achar que pode estar perdendo uma excelente oportunidade. Isso faz muitos investidores entrarem em investimentos quando eles já estão caros sem perceber. A gente pode ver isso em casos recentes como:

  • Bitcoin
  • Ambev
  • Magazine Luiza

Isso acontece porque temos a falsa sensação de que o que está subindo deve continuar nessa direção. E isso acontece para o outro lado também: quando você tem um ativo e ele começa a perder valor, é comum querer vender logo para minimizar as perdas.

É essa combinação de comprar caro e vender barato que mata a rentabilidade de qualquer carteira.

Quanto dá para perder:

Diferença do preço de compra e preço de venda

4- Comprar ação porque está barata

Não necessariamente uma ação barata é uma boa ação. Ela pode estar barata justamente porque está mal.

Foi o caso com a PDGR3, que de 2015 para 2016 perdeu cerca de 95% do seu valor e saiu do índice bovespa. No final de 2016, a ação que valia R$420 estava custando R$20. Ela claramente estava barata, mas não necessariamente era um bom investimento.

Muito melhor do que olhar só para a cotação da ação, é olhar para alguns indicadores fundamentalistas. Eles mostram uma visão mais geral da situação.

Se quiser saber um pouco mais, dá uma olhada no post que eu fiz aqui no blog de como escolher ações baratas

Um exemplo é o preço / lucro. Esse indicador mostra quando a ação está barata em relação ao lucro que ela produz. Isso já é uma alternativa muito melhor do que só olhar a cotação da ação

Quanto da para perder: 

Desvalorização do ativo e o custo de oportunidade de estar investindo em ações melhores

5- Seguir dicas quentes

Todo mundo tem um amigo que já chegou até você com uma dica quente. As vezes ele trabalha numa corretora, as vezes trabalha na empresa em questão, ou mesmo numa gestora. Não importa de onde essa informação vem, você deve tomar muito cuidado com ela.

Se conselho fosse bom, ninguém dava: vendia. No mercado financeiro isso é levado a sério porque bons conselhos podem ser revertidos em dinheiro de forma fácil. Existem grandes empresas especializadas nisso. São as casas de pesquisa independentes, como Empiricus, Suno, Eleven, Nord e outras. Elas fazem estudos e análises e vendem esses relatórios.

Não necessariamente a dica quente do seu amigo é ruim, mas é importante sempre olhar de forma crítica se realmente faz sentido. Eu costumo ser avesso a essas dicas depois de ver tantas irem pelo ralo.

Quanto dá para perder: 

Quanto o ativo desvalorizar depois de você ter comprado.

64 / 76