A bolsa sobe ou cai depois das eleições?

“Sobe no boato e cai no fato” é uma frase muito popular que explica muito bem o que costuma acontecer no mercado financeiro. Se você nunca escutou antes, vai passar a ouvir com frequência em breve.

O que ela significa?

Geralmente os ativos sobem quando sai uma notícia de que algo de bom pode acontecer (nesse caso, seria o “boato”), como por exemplo uma fusão de duas empresas.
Sobe ou desce

Quando o boato se concretiza, os ativos costumam cair (esse seria o “fato”). Por exemplo, caso as duas empresas de fato se fundam.

Por que isso acontece?

Esse comportamento parece completamente anti-intuitivo mas faz bastante sentido. Quem se antecipa aos acontecimentos consegue comprar ativos a preços melhores. Por isso, quando sai o “boato”, o mercado corre para comprar o ativo em questão e isso faz o valor dele subir.

É por isso que se diz que “o mercado precificou tal acontecimento”.

Quando o boato se concretiza, quem investiu no boato costuma vender aquele ativo, porque ele já fez o dinheiro que esperava fazer.

Com muita gente vendendo, o preço despenca. O perigo mora aqui. Muitos investidores novatos acabam comprando o ativo nesse momento. Afinal, o fato se concretizou. O problema é que o preço derrete e o investidor não entende porque.

Tome cuidado

Isso pode fazer com que marinheiros de primeira viagem acabem tomando decisões precipitadas no curto prazo, como por exemplo: “O candidato X vai ganhar as eleições e a bolsa vai disparar”.
Tome cuidado com boato e fato

Geralmente quando saem pesquisas dizendo que esse candidato tem chances de ganhar, os ativos sobem. Se esse candidato de fato ganhar, muito provavelmente a bolsa vai cair no curto prazo.

Dilma em 2016

Isso ficou muito claro durante o processo de Impeachment da Dilma Rousseff em 2016. Dilma não vinha fazendo um bom trabalho na economia do país. A inflação era de dois dígitos, a taxa de juros era alta, alto desemprego, etc.Reação ibovespa Dilma

Quando surgiu a possibilidade do Impeachment, o mercado viu com ótimos olhos, porque seu vice, Michel Temer, pretendia colocar uma experiente equipe comandando a economia. Com isso, a bolsa disparou.

Nas semanas que sucederam o impeachment, a bolsa derreteu.
Na imagem, o boato se dá quando começa o processo de Impeachment (embora possa ser entendido como antes disso). O fato é quando o Impeachment de fato é aprovado.

Eleições 2018

Nas vésperas da eleição para presidência, a gente vê isso acontecendo mais uma vez.

O mercado gosta da possibilidade de Bolsonaro presidente e não gosta de Haddad ou Ciro. Quando sai uma pesquisa que aponta que o Bolsonaro tem mais chances de ganhar do que se pensava antes, a bolsa sobe. Esse é o boato. Caso ele venha a ser eleito, é muito provável que a bolsa tenha um movimento contrário no curto prazo.

A mesma coisa acontece do outro lado. Quando sai uma pesquisa que aponta que Haddad tem mais chances do que se pensava, a bolsa cai.

O que dirá se o presidente X ou Y é bom mesmo para a economia do país é o longo prazo. Olhar para a bolsa logo após a eleição pode dar uma visão míope do que está acontecendo por causa desse efeito.

37 / 76