fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Ações Americanas: saiba como e porquê investir

Quem acompanha o mercado, sabe que há alguns anos atrás a gente conseguia rentabilidades de 14% a.a. em investimentos conservadores e com baixo risco. Porém, a realidade do mercado brasileiro em 2020 é outro. 

Com a SELIC no menor patamar histórico, de 2% a.a., os investidores brasileiros estão passando por uma chacoalhada nas carteiras de investimentos. 

Em busca de rentabilidades mais altas, muitas pessoas estão migrando para renda variável ou abrindo mão de liquidez no caso da renda fixa. 

Outra alternativa, entretanto, que vem sendo muito indicada entre os especialistas da área é a diversificação internacional da carteira

Quando as pessoas falam sobre carteira de investimento, sempre nos aconselham a diversificar e faz sentido, porque não podemos colocar todos os ovos na mesma cesta, certo?

Mas o que poucas pessoas pensam é sobre a diversificação entre países. No Brasil, ainda temos algo em torno de 99% dos investidores olhando apenas para o mercado interno. 

Por que diversificar entre países?

Se analisarmos o que aconteceu esse ano, com a crise do coronavírus, o IBOVESPA derreteu e foi para 66 mil pontos. Ou seja, retrocedeu a patamares de 2, 3 anos atrás. Apesar de já estar se recuperando, o tombo foi grande. 

Veja, em 20 de março desse ano, o IBOVESPA atingiu 66.954 pontos. Em agosto de 2017, o IBOVESPA estava a 66.897

Além disso, se olharmos  a performance do IBOVESPA em dólar, ele caiu bem mais porque o dólar se valorizou. Saiu de R$ 3,17 em 2017 para quase R$ 6 agora em 2020.

o IBOVESPA dolarizado, em azul, caiu mais que o IBOVESPA (em roxo) e ainda não retornou

Ou seja, rebalancear a carteira agora é mais que obrigatório, se tornou uma necessidade. 

Não podemos colocar os ovos todos na mesma cesta, mesmo com ativos diferentes. É importante investir em outros países, enxergar outras oportunidades e diversificar geograficamente.

Para você ter uma noção, antes do coronavírus a recomendação era de 2%-3% em investimentos internacionais.

Hoje, analistas recomendam de 16% para perfis moderados e 25% para perfis mais arrojados, ou seja, ¼ da carteira em ativos internacionais.

Ao expor a sua carteira a diferentes geografias e setores, você minimiza o efeito de instabilidade política ou crises econômicas no âmbito local.

Por que investir em ações americanas? 

De fato, as empresas brasileiras conseguem suprir bem o mercado interno, algumas têm exportação e conseguimos vislumbrar oportunidades no nosso país. 

Mas quando você pensa no Google, por exemplo, eles não vendem só para os EUA. É uma empresa global.

Ao investir na bolsa americana, por exemplo, você pode ter ações de empresas como por exemplo o que chamam de FANGMA: Facebook, Amazon, NVidia, Google, Microsoft e Apple. Essas empresas se destacam por serem de um setor em grande crescimento, o de tecnologia e o de e-sports.

O e-sports, inclusive, foi a única modalidade de esporte que teve competição na maior parte desse ano de 2020.

É um segmento que movimenta milhões. Para se ter noção, o último campeonato mundial de Dota2 (um dos jogos) pagou USD 45 milhões para o campeão. As pessoas pagam para assistir online, ter acesso a prêmios e brindes online.

Audiência dos E-sports deve ultrapassar NBA e NFL até 2022

Além disso, se você parar para analisar, 27% do S&P500 são empresas de tecnologia e podem ser boas oportunidades se isso for condizente com a sua estratégia.

Importante ressaltar aqui que não estou fazendo sugestão de compra ou venda, mas apenas trazendo dados para que você consiga refletir sobre a diversificação internacional.  

Lembre-se de sempre verificar se a empresa ou que você está investindo tem a ver com sua estratégia de investimentos. 

Se investir internacionalmente está sendo tão indicado, por que não pensamos nisso antes? 

Além de anos atrás termos uma taxa de juros altas, antigamente era muito mais complicado investir diretamente na bolsa americana. 

Como investir em ações americanas?

Hoje em dia, você pode procurar alguns fundos de investimento que compram ações de companhias internacionais. Mas também tem algumas corretoras disponíveis para que você consiga investir diretamente em ações americanas e escolher as que você quer.

O processo de abertura de conta é relativamente simples, mas é preciso estar atento a alguns detalhes.

  1. Veja quais corretoras aceitam estrangeiros
  2. Confira se a instituição possui registro na FINRA (Autoridade Regulatória da Indústria Financeira) e autorização da SEC (Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos);
  3. Não esqueça de olhar as taxas que são cobradas

Para abrir a conta você precisará de documentos como cópia do CPF, declaração do IR, comprovante de residência, cópia do passaporte e um documento chamado W-8BEN.

O que é o W-8BEN?

O formulário W-8 é um documento fornecido pela Internal Revenue Service, que é o equivalente a Receita Federal.

Existem diversos formulários da “família” W8, mas os principais são: W8-BEN, que é para pessoas físicas, e o W-8BEN-E, para empresas.

É um documento que comprova que você não é contribuinte fiscal nos Estados Unidos, ou seja, diminui ou isenta a retenção de impostos.

Também é importante checar na corretora quais outros documentos são necessários. 

Aberta a conta, você deve fazer uma remessa de dinheiro. 

Aqui vale ressaltar que a remessa precisa ser feita através de um banco autorizado e também se submeter às regras tributárias brasileiras, declarando à Receita Federal sobre os seus investimentos e recolhendo os impostos sobre ganhos de capital.

Declaração e recolhimento de imposto de renda

Não deixe de sempre checar com a corretora ou algum contador quais impostos você deverá pagar. Lembre-se é necessário informar anualmente na declaração de IR o valor investido no exterior atualizado para a data de 31 de dezembro do ano anterior. 

Algumas corretoras americanas, como a Passfolio e a Avenue, inclusive oferecem relatórios auxiliares para te ajudar a declarar os seus investimentos.

Fora isso, vale notar que tem investimentos no exterior superiores a US$ 100 mil além de informar o valor à Receita Federal, deve prestar contas ao Banco Central.

Dicas para quem está começando

Se você quer investir nos EUA e não sabe por onde começar, não se preocupe. A Passfolio, corretora parceira do Real Valor, listou algumas práticas que podem te ajudar nos seus investimentos*: 

Considere ajustar a quantidade de risco que você toma de acordo com a sua idade. Teoricamente, quanto mais jovem você for, mais risco você pode assumir porque você tem mais tempo para compensar as perdas potenciais em seus investimentos. Se você ainda não conhece a Lei dos 60, confira aqui

No começo, considere investir pequenas quantias de dinheiro de forma consistente ao longo do tempo, a fim de ganhar experiência e alcançar retornos semelhantes aos da média do mercado*

Considere indicadores como faturamento, volatilidade, relação dívida-capital, Índice preço-lucro e retorno sobre capital. Esses indicadores podem te ajudar a avaliar a qualidade das empresas investidas e escolher ativos que se enquadrem no seu perfil de investimento (saiba mais). 

Esses indicadores geralmente podem ser encontrados nos próprios sites das empresas ou nos apps das corretoras. Por exemplo, você pode encontrar informações financeiras sobre a Coca-Cola aqui. Outras fontes de informação que podem ser úteis são Yahoo Finance, Bloomberg Markets e o site da SEC.  

*A Passfolio não faz recomendações. As práticas acima não garantem resultados. Lembre de considerar os seus próprios objetivos de investimento e situação financeira particular.

Acompanhe suas ações americanas 

Se você optou por investir em fundos ou ações americanas, não tem problema. Pelo Real Valor você consegue acompanhar de perto a rentabilidade dos seus investimentos e tomar decisões de acordo com os seus objetivos. 

Além disso, já temos no aplicativo um hub com integrações automáticas que importam diretamente da instituição em segundos, como a Passfolio por exemplo. 

Para acessar basta ir em “+ Adicionar” > “Importar Automaticamente” > “Adicionar Instituição” > Passfolio

Você também pode inserir de forma manual. “+ Adicionar” > “Nova transação” > “Novo investimento” > “Escolha o tipo de ativo” > “Ação Americana” > Preencher as informações de acordo com o que foi comprado.

Depois é só acompanhar seus investimentos.

Para saber se você está indo bem nos investimentos, confira esse texto aqui que explica direitinho!

E você? Já tem investimentos em ações americanas? Conta aqui para mim sua experiência.  

banner-real-valor
178 / 189