fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Auto atribuição e por que ela pode te atrapalhar na hora de investir?

Quem não tem aquele amigo que adora se gabar das coisas que faz, que atire a primeira pedra. 

Vamos combinar que a gente também tem esse lado, né?

Quando a gente conquista alguma coisa que a gente quer muito ou quando a gente tem sucesso em determinadas situações, é inevitável querer falar com todo mundo. 

Nós mesmos comemoramos 100 mil downloads na playstore e foi bom demais! 

Isso é bem natural, de fato! É bom compartilhar coisa boa!  

Mas e se você compartilhar uma vitória que não teve participação? 

Como assim?

Vou dar um exemplo de jogo de futebol. Não sou a mais entendida do mundo, mas com um irmão e um pai que sempre jogaram, tive que assistir muitas partidas deles e eu sempre achava engraçado os comentários pós jogo.

Quem joga/assiste futebol conhece a famosa expressão “ficar na banheira”. Para quem não sabe, é aquele jogador do time que fica ali na pequena área só esperando a bola chegar nele. 

O time se mata de correr, faz várias jogadas, o sujeito fica só ali na grande/pequena área e no final da partida ainda lança “sou artilheiro!”

Tem até um jogador de um clube carioca que ficou famoso por fazer vários gols de barriga, canela e tinha até uma musiquinha, mas não vou contar porque corro risco de ser convidada a me retirar da equipe hahaha. Brincadeira 

Mas e o que diabos isso tem a ver com erros em investimentos? 

Seguindo os textos da série erros que investidores cometem na hora de investir e não sabem, essa semana vamos falar do viés da auto atribuição.

Se você não sabe do que estou falando, vou te convidar a ler os dois primeiros textos da série “Como evitar erros na hora de investir?”

Viés da auto atribuição

O amigo que fica ali na banheira enquanto o time se mata para fazer as jogadas, faz uma auto atribuição de valor e se chama de artilheiro e se acha o melhor. Ele acha que é só colocar ele no time, que o time ganha. 

Ou seja, ele se enche de confiança como jogador porque fez os gols. 

OK, o gol é o que ganha partida, mas foi o time como um todo que fez todo esforço para bola chegar até ele.

Nos investimentos, isso também acontece. 

Vamos chamar nosso amigo artilheiro de Augusto. O Augusto também é investidor e montou um carteira para ele, com algumas ações. 

Digamos que uma das empresas recebeu uma oferta de compra. Como o Augusto acompanha de perto seus investimentos, percebeu que as ações da sua carteira se valorizaram.

Mas…. o Augusto não sabia dessa informação quando comprou a ação.

Só que o nosso artilheiro vira pro amigo e fala: se você tivesse me ouvido e comprado a ação tava cheio de dinheiro. 

Opa, Augusto, você está na banheira de novo! 

O que aconteceu com a ação que se valorizou não foi um esforço do Augusto, foi uma questão do mercado. Ele não sabia dessa movimentação do mercado, ele estava posicionado na hora certa, no ativo certo.

Ou seja, o mercado (time) fez a jogada e o Augusto fez o gol, porque tinha essa ação na carteira dele. 

Bom para ele que performou, mas o que acontece se ele ficar com excesso de confiança? 

As armadilhas da auto atribuição na hora de investir

O investidor fica tão confiante de que suas decisões são as melhores que ele pode acabar tomando mais risco do que deveria.

E se acontecer de ele ter tido sorte em uma situação, ele também pode ter azar e o final a gente sabe bem o que acontecer né?

Então é sempre importante a gente avaliar se as decisões estão baseadas em excesso de confiança por ganhos passados ou se são decisões embasadas.

Outra forma que o excesso de confiança pode atrapalhar (e muito) seus investimentos.

Acreditar que você é o melhor trader e começa a ver os negócios em bolsa como um jogo. 

Alguns investidores começam a operar tanto como day trader, por exemplo, e ficam comprando e vendendo, comprando e vendendo, comprando e vendendo, mas será que no fim do dia valeu a pena?

É preciso avaliar o seguinte: 

Como foi o resultado líquido? Depois de deduzir imposto, custo operacional, valeu a pena a quantidade de operações ou foi só pela emoção de falar: eu fiz muito dinheiro nas operações?  

No final do dia, o importante não é só operar.

É operar de maneira eficiente para ter os melhores resultados financeiro. 

E você? Já passou por alguma situação desse tipo ou tem um amigo como Augusto?  

Me conta aqui nos comentários!

149 / 152