fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Aversão à perda: como pode atrapalhar seus investimentos

Outro dia estava conversando com um tio meu e ele estava me contando que tinha alguns investimentos em determinados fundos e que ele não sabia direito o que fazer com o dinheiro dele. 

Eu fiz um texto sobre planejamento na hora de investir, e nele falo sobre a importância de entendermos o nosso perfil de investidor e então perguntei se ele sabia qual era o perfil de investidor dele. 

E ele me falou que tinha perfil moderado, só não queria perder dinheiro. 

Quando ele me falou isso, lembrei na hora da live que o Edu fez, junto com o Bernardo da RVI Capital, sobre os principais erros que os investidores cometem e as vezes nem sabem.

Se você não acompanhou esse bate papo, vou deixar o link do youtube para você assistir. 

Em uma parte do vídeo eles falam que a aversão à perda é uma realidade e ela pode atrapalhar os investidores na hora de investir. 

Que nem no caso do meu tio, ele topa risco, mas não topa perder dinheiro. Mas como é isso?

Vamos entender melhor melhor essa aversão à perda. 

Aversão à perdas, o que isso significa na verdade?

Durante muito tempo, a economia se apoiou em uma hipótese que os mercados são eficientes em relação à informação. 

Isso significaria dizer que no mundo dos investimentos, por exemplo, todos os investidores tomam decisões racionais a todo momento, baseado em dados.  Mas a economia comportamental veio mostrar que muitas vezes as decisões são tomadas de forma emocional. 

O que a perda tem a ver com isso? 

Vamos ser francos, ninguém gosta de perder, né? 

O problema é que nós sofremos mais com perdas do que ficamos felizes com ganhos de mesma intensidade. 

Ou seja, perder R$ 100 causa mais tristeza do que ganhar R$ 100 traz de felicidade.

Por exemplo, se falarmos de jogos de azar. Uma pessoa entra num cassino com R$ 50. Na primeira jogada, ganha R$ 80, na segunda ganha R$ 30, na terceira ela perde R$ 10 e na quarta perde mais R$ 10, 

Teoricamente, essa pessoa deveria tomar uma decisão racional de continuar e aceitar o risco para ver se ganha mais ou parar.

Mas o que acontece de verdade, é que provavelmente a pessoa ficar maluca que perdeu esses R$ 20. Ou seja, ela vai valorizar muito mais o fato de ter perdido R$ 20, do que ter lucrado R$ 90.

A nossa aversão à perda é muito maior que a atração ao ganho. 

Esse comportamento não está errado. Na verdade acredita-se que isso vem da parte mais primitiva do nosso cérebro.

Na época em que caçávamos para sobreviver, um dia sem comida era infinitamente pior do que um dia com fartura de comida. Por isso desenvolvemos uma aversão a perdas maior do que uma aptidão a ganhar. 

E acabamos carregando isso para a tomada de decisões que nem sempre são questão de vida ou morte

Quando pegamos o nosso exemplo do cassino e olhamos para um gráfico de forma racional, não faz sentido, mas na prática isso acontece. 

O comportamento dos usuários do Real Valor provou isso 

Quando tivemos aquela queda abrupta da bolsa por conta do coronavírus em fevereiro e março, também tivemos uma perda vertiginosa em DAU (Daily Active Users, ou seja, usuários ativos por dia).

Nós gostamos de ver nosso dinheiro subindo e aí abrimos o app mais vezes, mas quando estamos perdendo, preferimos não ver.

Dá uma olhada nesse gráfico:

Quando Ibovespa caiu, o número de usuários ativos também caíram.

A bolsa brasileira teve perdas de cerca de 50%. Nesse mesmo período, o número de usuários ativos diários do Real Valor caiu na ordem de 30%. 

Para entender como chegamos nesse gráfico, confere esse texto aqui!

Se mesmo olhando esse gráfico você ainda não acredita na aversão à perda, olha o que meus amigos falaram sobre os investimentos em um grupo de whatsapp, nessa época entre fevereiro e março.

Por que a aversão à perda pode atrapalhar seus investimentos?

Você olhar seus investimentos não vai te fazer perder mais ou menos dinheiro, maaaas

Quem não mede não gerencia

Peter Drucker

Não adianta só medir quando está indo tudo bem. É no momento que tudo vai mal que é mais importante medir.

É quando a bolsa está derretendo que você tem oportunidades de compra.

É importante acompanhar os investimentos nesse momento justamente para ver o que faz mais sentido comprar e lucrar no longo prazo.

Mas quando você não olha para isso, você fica inerte e acaba não tomando uma atitude para mudar sua carteira.

Ou seja, você deixa de se mexer e acabar defendo sua carteira para uma outra alternativa. 

Por isso, não tenha medo de ver as setinhas vermelhas, use as informações para tomar uma decisão melhor. 

Conhece algum amigo que é assim? Envia esse texto para ele.

149 / 171