fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

[A SEMANA DA RENDA FIXA] Alerta de Spoiler

Olá, meu nome é Gabriel Mallet e sou Head de Renda Fixa aqui na Vitreo.

Este conteúdo é um resumo semanal do que do que aconteceu nos últimos sete dias, além de destaques de oportunidades em Renda Fixa. Espero que você goste.

Começando pelos principais indicadores: 

Alta de juros

Nesta semana, gravei um vídeo para a plataforma Money Times, em que discuti um tema extremamente relevante para o mercado, que tem impacto direto sobre nossos investimentos de Renda Fixa: a alta de juros. Gostaria de trazer essa discussão e refletir sobre a relação do tema com os principais acontecimentos e resultados semana, além de mostrar como isso impacta seu bolso.

Estamos começando a passar por um momento de economia aquecida, o consumo aumenta e consequentemente os preços também aumentam. Para controlar essa inflação, o Banco Central eleva a taxa Selic. E isso não é “problema” só do Brasil, está acontecendo no mundo todo e preocupa os consumidores e o mercado.

No boletim Focus divulgado na segunda-feira, as expectativas para a Selic giram em média de 6,75% ao ano e em 2022 atingem os 7% ao ano. Esse aumento da taxa de juros e o constante aumento das previsões de mercado para a Selic tem alguns motivos:

  • Atividade econômica tem surpreendido positivamente o mercado, que já precifica um crescimento de 5,05% do PIB neste ano.
  • A inflação de maio deste ano foi a maior desde 1996, subindo 0,83%, já em junho. 
  • Há também uma nova aceleração, a segunda maior variação do ano, com 0,81%, no primeiro semestre, o que resulta em 3,50% de inflação. Já nos últimos 12 meses são 8,95%. Em tempo, o IPCA-15, divulgado ontem, apresentou variação de 0,72%, ligando um sinal de alerta ainda maior para a alta dos preços, a taxa da primeira quinzena é a maior do período desde 2004.
  • Na segunda prévia de julho, o IPGM está em 0,72%, com isso o indicador acumula alta de 33,75% em 12 meses, lembrando que se trata da prévia e não do indicador oficial.

Nesse cenário, cabe o questionamento: até onde vai esta alta? Uma vez que volatilidade para o PIB, Inflação e Selic mudam constantemente.

Só sei que nada sei

Sócrates foi o primeiro dos três grandes filósofos gregos que estabeleceram as bases do pensamento ocidental. Os seguintes foram Platão e Aristóteles. Nascido em Atenas por volta do ano 470 a.C. é considerado por muitos um dos maiores filósofos de todos os tempos e é conhecido por sua máxima “Só sei que nada sei”, que significa reconhecer o próprio desconhecimento de uma verdade universal da parte do autor. 

Com relação ao mercado e ao cenário atual, sinto algo semelhante, não sei até onde essa alta vai, ou como será a oscilação dos índices. Minha única certeza é que devo aproveitar esse cenário da melhor forma.

Ainda que a taxa de juros não esteja nos patamares do passado, a rentabilidade passa a ser cada vez mais atrativa. E os títulos atrelados a inflação passam a ser os “queridinhos” da vez no mercado. 

Além desses, os títulos crédito privado são uma boa opção, ainda que uma alternativa mais “arriscada” por conta do risco de crédito de cada emissão. Existem inúmeras opções de CRIs, CRAs e Debêntures com bons ratings e um bom prêmio, principalmente nos prazos mais curtos.

No estado atual das coisas, diante da inflação e da alta dos juros, além de calibrar os portfólios para melhor aproveitar o cenário, devemos observar o mercado. E, quando olhamos, podemos ver claramente que há um certo temor em relação à inflação, aos impactos da variante Delta e, no caso do Brasil, ao rumo da reforma tributária, que foi foco de atenção desta semana.

Reforma tributária

Na quarta-feira, o ministro Paulo Guedes defendeu uma reforma tributária “mais ousada”, mesmo com risco de perder arrecadação, afirmando que a Receita Federal foi “conservadora” na proposta original e que mudanças não impactarão no aumento de impostos. Nota-se que há uma certa indecisão e muitos desacordos envolvendo os textos da reforma. Por isso, devemos prestar atenção no desenrolar das mudanças propostas por essa reforma e quais serão os impactos que teremos na Renda Fixa e na economia em geral.

Oportunidades em renda fixa

CDB 3 anos – CDI + 2,5% a.a. – Banco Máxima

Oferta Exclusiva Vitreo – Últimas semanas!

Os Certificados de Depósito Bancário são títulos privados emitidos por bancos e financeiras com o objetivo de captar recursos para financiar suas atividades. 

Ao investir em um CDB, você empresta seus recursos ao banco e em troca recebe esse montante acrescido dos juros no período. 

Os CDBs contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito em até R$ 250 mil por emissor e por CPF dos investidores.

No caso deste CDB, trata-se de um ativo do Banco Máxima que paga CDI + 2,5% ao ano com vencimento em 2024. 

O mínimo necessário para o investimento é de R$ 1.000. Fundado na década de 1970, o Máxima é uma instituição privada que se constituiu como um banco múltiplo com carteira comercial. 

Ao final de 2020, o banco possuía R$ 3,5 bilhões em sua carteira de crédito, sendo R$ 270 milhões de patrimônio de referência. Com 6 agências espalhadas pelo país e dois pontos de atendimento. Ao todo, o banco consolidava no fim do ano passado R$ 5 bilhões em captações (um crescimento de 59% frente a 2019), resultando em R$ 70 milhões de lucro líquido em 2020. 

Dada a alta dos juros, que cada vez mais é precificada no mercado, a rentabilidade do título é atrativa e até maior do que o IPCA, uma vez que as taxas de juros vão continuar aumentando para, de alguma forma, controlar a inflação.

[Quero conhecer melhor]

CRI – Direcional – 3 anos e 11 meses – 110% CDI

O CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) são títulos de renda fixa privados que representam a promessa de um pagamento futuro com o objetivo de financiar o setor Imobiliário.

Ao investir em um CRI, você está ajudando a financiar o mercado de imóveis, uma vez que a Incorporadora/Construtora que possui o lastro imobiliário contrata uma Securitizadora para transformar a dívida em um título de crédito e é justamente nesse título que os investidores podem aplicar, antecipando assim o pagamento da dívida.

A Direcional é uma das cinco maiores construtoras do Brasil. Tem um perfil financeiro extremamente sólido e mesmo durante a pandemia vem se destacando positivamente com diversos lançamentos.

E aqui trago um presente pra vocês, um relatório gratuito do Time da Empiricus para você entender tudo sobre as vantagens do CRI de Direcional.

[Quero conhecer melhor]

Tesouro IPCA+ 2026

Pensando na crescente escalada da inflação, nos últimos 12 meses ela já está em 8,35%. Em outras palavras, seu dinheiro está se desvalorizando de forma silenciosa e rápida. Diante desse cenário, ter uma carteira diversificada com alguns papéis que protejam desse aumento é sempre muito importante. Uma interessante alternativa para isso é o papel do Tesouro Direto com vencimento em 2026 indexado à inflação.

[Quero conhecer melhor]

Tesouro Selic 2024

Pensando na reserva de emergência e até mesmo na gestão de caixa, o Tesouro Selic 2024 surge como excelente oportunidade, ainda mais aproveitando o cenário de elevação da taxa de juros, com a terceira alta seguida, e com o mercado já precificando a Selic no final de 2021 entre 6,50 e 7%.

Além disso, investimentos no Tesouro Selic com o montante de até R$ 10 mil reais são isentos da taxa da B3 (0,25% a.a.).

[Quero conhecer melhor]

Pensando em uma pimentinha a mais e com uma reserva de emergência focada na emergência de fato e não como um fluxo de caixa, temos o Tesouro 3.0, que é uma carteira administrada com a Gestão Vitreo que investe 88% no Tesouro Selic 2024 e 12% no Tesouro IPCA 2026.

Um abraço,

Gabriel Mallet

Vale lembrar que as informações aqui disponíveis são meramente informativas e não devem ser interpretadas como análise, solicitação de compra, esforços de venda ou aconselhamento de investimentos de qualquer ativo financeiro, sendo única e exclusiva responsabilidade do investidor a tomada de decisão.

Antes de investir, verifique se o produto é adequado ao seu perfil de investimentos, objetivos de investimento e situação financeira. A Vitreo DTVM não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo.

279 / 349

Leave a Reply

Required fields are marked