fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Como montar uma carteira de investimentos

A gente tem percebido um aumento no número de pessoas investindo.

Para você ter noção, em maio deste ano, a B3 registrou aumento de 42% do número de cpfs em relação a abril de 2019.

Em outubro de 2018, a bolsa registrava 653 mil pessoas investindo. Um ano depois, em outubro de 2019, o marco de 1,5 milhão  de pessoas na bolsa foi atingido. 

Com taxas de juros cada vez mais baixas, esse número pode ser um indicativo que muitas pessoas estão deixando a renda fixa para investir em renda variável, mas de fato houve um aumento do interesse pelo assunto por boa parte da população.

O número de perfis no instagram sobre mercado financeiro vem crescendo, bem como cursos de educação financeira, casas de análise entre outros serviços que permeiam o mundo financeiro. 

E aí uma dúvida sempre surge: como montar uma carteira de investimentos? 

Fui atrás de um vídeo que o Edu e Bernardo do RVI Capital fizeram sobre isso, para trazer as principais lições! 

Se quiser assistir o vídeo na íntegra vou deixar o link aqui:

Antes de entrar no site da sua corretora, abrir uma lista de fundos de investimentos e colocar na sua carteira, é preciso entender alguns pontos importantes.

Montar carteira de investimento não é receita de bolo. 

Cada pessoa vai ter uma carteira diferente da outra. Podem até ter ativos similares, mas as proporções podem ser diferentes. Por que isso?

Porque cada pessoa é diferente, tem objetivos de vida diferentes, tem propensão a risco diferentes, tem prazos diferentes, etc. 

Então vamos entender cada um deles, antes de começar

Perfil de investidor

Importante para começar a investir é saber que para cada perfil de investidor existe um investimento que se encaixa melhor.

Tudo vai depender da sua condição financeira e a sua disposição de correr riscos. Sendo assim, é importante que você se conheça e saiba qual seu perfil.

Entender isso vai fazer diferença na hora de estudar os diferentes produtos para montar sua carteira.

Uma questão importante para se entender em relação a perfil de investidor é que risco e rentabilidade andam de mãos dadas, ou seja, quanto maior a rentabilidade, geralmente, maior o risco. 

  • Perfil Conservador: preza em primeiro lugar pela segurança, ou seja, correr menos riscos.
  • Perfil Moderado: como o próprio nome diz, busca um equilíbrio entre a zona segura de conforto e o nível de rentabilidade.
  • Perfil Arrojado: não se prende muito a aplicações mais seguras. Para ele, o mais importante é fazer o investimento render o máximo possível, mesmo que tenha que correr grandes riscos.

Objetivos 

O que você quer atingir com seus investimentos?

Eu posso fazer uma lista gigante aqui, mas só você sabe o que é melhor para você.

Você pode querer investir para ter mais rentabilidade no futuro e ter um complemento para  aposentadoria, viajar, comprar um carro, apartamento, começar uma faculdade ou novo curso. 

Definido os seus objetivos, entender o tempo que você vai deixar o dinheiro investido é muito importante.

Quando você vai precisar do dinheiro? 

  • Curto prazo: menos de um ano
  • Médio prazo: 1 a 5 anos
  • Longo prazo: mais que 5 anos

Momento de vida de cada pessoa

É importante saber que a sua carteira vai mudando ao longo dos anos. 

Se você não acompanha, não avalia e não faz mudanças necessárias ao longo dos anos você corre risco de ter uma concentração da carteira e desenquadramento do nível de risco.

A carteira que você montar hoje, não vai ser a carteira que você terá daqui a 5 anos.

Já ouviu falar da leis dos 60 e da lei dos 80? 

Se você quiser entender melhor, confira no nosso ebook que lá tem falando tudo sobre balanceamento de carteira.

Além disso, é importante ficar de olho no cenário macro, que também influencia na distribuição da sua carteira. 

Liquidez 

Depois de saber o seu perfil de investidor, traçar seus objetivos, entender seu momento de vida, você consegue responder essa pergunta a pergunta se precisa de alta ou baixa liquidez. 

A liquidez é quão rápido o dinheiro investido, vem para sua mão. 

Por exemplo: você investiu em um apartamento. Mas decidiu ir morar fora do país e precisa do dinheiro para poder seguir adiante.  Quão rápido você acha que é vender um apartamento e ter esse dinheiro? 

Geralmente, não é rápido, né? 

Isso significa que o apartamento tem baixa liquidez. Diferente de fundos de D+0, que você pede resgate em um dia e o dinheiro está na sua conta no mesmo dia ou no dia seguinte (precisa ver os horários da corretora, ok?)

Retorno esperado

Tudo bem que todo mundo quer o maior retorno, mas é importante alinhar expectativa. Se você quer que seu investimento renda 100%, mas só coloca em renda fixa, talvez você se frustre. Então, é importante que você tenha essas expectativas alinhadas. 

Agora que a gente já entendeu o que você quer com seus investimentos está na hora de montar a carteira. 

Montando carteira de investimentos como um profissional

Hora de montar a carteira, e agora?

Vamos lá: você já tem a sua reserva de emergência? 

Se você falar que está na poupança, para agora e vem ler esse texto: 3 motivos para sair da poupança HOJE

Por que é importante ter uma reserva de emergência? 

Ninguém imagina o que pode acontecer amanhã, pode ser que você perca o emprego, tenha algum problema de saúde ou pode acontecer uma pandemia, chuva de gafanhoto, ciclone (é 2020 está bombando)… 

… e aí você precisa do dinheiro de forma rápida. É a reserva de emergência que vai te ajudar. 

Como o nome já diz é para emergência, mas ela também pode servir para oportunidade. 

Ou seja, é um dinheiro que se aparece uma oportunidade de um investimento mais interessante para os seus objetivos, você consegue manejar de forma rápida e investir ou se você precisar para algum custo não previsto, você tem também.

Posso usar a renda variável para reserva de emergência? 

Quem sou eu para falar o que você vai fazer com seu dinheiro, maaaas não é aconselhável.

Imagina o seguinte, você precisa do dinheiro e justo no dia que você precisa a bolsa está em um dia ruim, todos os ativos derretendo. Você vai precisar realizar prejuízo e pode ser ruim para os seus objetivos.  

Então, aconselho a ver outras alternativas. Atualmente, tem bons fundos com liquidez alta. 

Importante falar aqui, você não precisa colocar tudo em D+0, pode escalonar essa reserva de emergência com fundos com outros prazos de liquidez para poder ter um pouco mais de retorno. 

Importante ressaltar que em renda fixa quanto mais líquido o ativo, menor o retorno.

Ouro pode ser reserva de emergência?

O ouro realmente teve uma forte valorização na pandemia do coronavírus.

como-montar-carteira-de-investimentos-ouro-reserva-de-emergencia

Até o dia 26 de junho de 2020, o ouro foi um ativo que se valorizou 53%. Fui ver o valor, e ontem bateu US$ 1.800 por onça.

Para vocês terem noção 1 onça = 0,02834 KG

Ele tem reserva de valor, mas ele oscila..  é melhor não considerar como reserva de emergência.

Isso serve para Fundos Imobiliários também, ok? Muita gente fala que é renda fixa, mas os FIIs são renda variável. 

Bom, já temos perfil, objetivo, já sabemos a liquidez, fizemos a reserva de emergência… você precisa selecionar quais ativos vai querer na carteira.

Fundos de investimentos, ações, títulos públicos.. e agora?

Escolhendo ativos para montar sua carteira de investimentos

Achei muito legal um comentário que o Edu faz no vídeo: 

Montar a carteira é como montar um time de futebol: não adianta colocar só atacante. Você até vai fazer gol, mas vai tomar também porque não tem defesa. 

como-montar-carteira-de-investimentos-montar-time-de-futebol

Mais importante que tentar prever qual investimento vai foguetar, é criar uma carteira diversificada a ponto de ter uma rentabilidade boa sem precisar prever o futuro.

Diversificar não é pulverizar

Para você ter uma carteira diversificada, é importante analisar os ativos, ver as estratégias que estão sendo usadas e mesclar. Como temos o mercado muito volátil, não adianta entrar all in em uma estratégia só. 

É importante ter ativos que são descorrelacionados entre si: quando um vai mal, o outro segura. 

Mas isso não significa pulverizar, por exemplo, comprar ações de todos os bancos e ter um pouco de cada.

Dessa forma o seu risco é no setor, acontece alguma coisa que enfraquece o setor e você fica desprotegido. Além de ser difícil ficar olhando para vários ativos, você não diversifica a estratégia.

Como escolher os investimentos para sua carteira

Mais importante que olhar histórico dos fundos disponíveis  é conhecer o gestor, saber o que está pensando para frente. Quais estratégias serão adotadas para o curto, médio e longo prazo. 

Olhar histórico é importante para perceber como os gestores se comportam em momentos de crise e pós crise, quais medidas foram tomadas. 

Em relação a ações veja se a empresa tem bons fundamentos. Analise os números como retorno sobre capital, como está o caixa da empresa, como está o endividamento.

Sempre importante prestar atenção nos cenários que se apresentam para que você consiga navegar entre eles. 

Como você pode perceber, para montar uma carteira de investimento é preciso analisar vários detalhes e cada pessoa é uma pessoa. 

Por isso, que muitas vezes é importante procurar ajuda de pessoas do mercado para que consigam te ajudar a montar a carteira para o seu perfil.

E de qualquer forma, estude bastante, nós temos disponibilizado diversas lives para você entender melhor sobre os assuntos do mercado.  Participe sempre, questione, tire suas dúvidas, é o seu dinheiro e sua independência financeira que estão em jogo! 

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui!  

151 / 159