fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Debêntures: o que você precisa saber sobre esse tipo de investimento

Deben… o quê?

post-real-valor-debentures-gif-what

Calma, calma, não estou xingando ninguém aqui!!

A  palavra é estranha e pode até assustar, mas fica tranquilo que o conceito é simples e você vai entender.

Vamos lá!

Quando alguém precisa pagar uma dívida ou tirar um projeto do papel e não tem dinheiro, geralmente, essa pessoa pega um empréstimo. Pode ser no banco ou, de repente, pedir para familiares, amigos…

Agora vamos trocar por empresa. Vou dar um exemplo para ficar mais claro.

Uma  construtora precisa de verba para construir uma rodovia. Essa construtora, pode ir ao banco e pegar um empréstimo, por exemplo.

Maaaas, geralmente, os juros a serem pagos para o banco são altos. Além disso, é o próprio banco que determina quando e como a empresa vai pagar esse empréstimo.

Então, qual seria outra solução?

post-debenture-real-valor

(Na verdade, tem várias opções, mas o texto é sobre debênture, então não vou falar sobre as outras opções, ok?)

A empresa vai a mercado para ver interessados sejam estes pessoas físicas, jurídicas, fundos, e assim negocia quanto de juros vai pagar para quem emprestou e quando vai pagar.

Em outras palavras, isso significa que a empresa emitiu uma Debênture.

No mercado há muitas variedades de debêntures. Por isso fiz esse texto para você entender melhor as características desse tipo de investimento.

Mas se você já conhece e está na duvida de qual a melhor debênture para você investir, no aplicativo do Real Valor você consegue fazer comparativo de ativos.

iphone-comparador-ativos-blog-real-valor-debentures

Se você ainda não conhece, vem entender melhor as características da debênture.

Resumão da Debênture

Uma debênture é um título de dívida emitido por uma empresa com objetivo de financiar novos projetos.

Ou seja, é como se você, investidor, emprestasse dinheiro para a companhia.

Geralmente, tem um pagamento de juros periódicos e o pagamento do principal.

A debênture é um ativo de renda fixa, que pode ser prefixada, pós fixada ou hibrida.

Debênture Pré-fixada

A empresa estipula quanto de juros vai pagar, ou seja, o comprador sabe quanto receberá no vencimento já na compra. Essa modalidade parece mais indicada para perfil conservador. Mas tem alguns detalhes que fazem com que seja mais arriscada, por exemplo:

Se te oferecessem uma debênture pré-fixada de 8,7% ao ano com vencimento daqui a 7 anos, te parece um bom negócio? Depende.

A Selic atualmente está em 4,5%, mas em 7 anos muita coisa pode acontecer. Se a Selic baixar ainda mais, você continua ganhando dinheiro, mas se ela subir, você pode acabar perdendo dinheiro. Sendo assim, a debênture pré-fixada é uma aposta no mercado e pode ser arriscado.

Debênture Pós-fixada

O comprador não tem como saber antes quanto será seu lucro no tempo do resgate, porque ele está atrelado a alguma taxa variável do mercado, como a Selic, CDI ou IPCA.

Híbrida:

Composta de uma parte fixa e outra variável. O comprador vai receber uma parte em cima dos juros pré-acordados, e outra em cima de um indicador econômico. Por exemplo: 4,5% de juros + IPCA

Características das Debêntures

No Brasil há dois tipos principais de debêntures – as simples e as conversíveis.

As debentures simples, não podem ser trocadas por uma ação da empresa, ou seja, “não conversível em ações”.

Já a conversível, não estou falando de carro, pode ser trocada por uma ação da empresa emissora.

Elas também podem ser classificadas como Debênture Comum ou Incentivada.

Debênture Incentivada

A característica mais conhecida desta modalidade é que nenhuma taxa de imposto incide sobre ela.

É uma forma de o governo incentivar o investimento em empresas de infraestrutura, como logística e transporte, mobilidade urbana, energia, saneamento básico, irrigação, telecomunicações, entre outras.

Debênture Comum

Nesse tipo, há cobrança de imposto sobre o rendimento, e segue a tabela regressiva de imposto: quanto mais tempo de investimento, menor a alíquota.

A tabela regressiva de imposto, funciona assim:

Até 6 meses, 22,5% de imposto em cima do rendimento

De 6 a 12 meses, 20% de imposto em cima do rendimento

De 12 a 24 meses, 17,5% de imposto em cima do rendimento

Mais de 24 meses, mínimo de 15% de imposto em cima do rendimento

Preciso declarar a debênture no meu Imposto de Renda?

Sim, ambas precisam estar na declaração do Imposto de Renda. Mesmo as debêntures incentivadas que não tem pagamento de imposto de renda, o investidor deve informar esta aplicação à Receita Federal.

O fato das debêntures incentivadas serem isentas do pagamento de imposto de renda não tira a obrigatoriedade do investidor precisar informar esta aplicação à Receita Federal

O dinheiro aplicado é declarado em Bens e Direitos, sob o código de aplicações de renda fixa.

Os rendimentos são informados em Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva, no código rendimento de aplicações financeiras para as debêntures comuns e Rendimentos Isentos e Não Tributáveis para debêntures incentivadas.

Em “valor”, você deve digitar quanto o dinheiro rendeu no ano de referência do Imposto de Renda.

Existem riscos na debênture?

A debênture é um título de dívida que uma empresa emite. Diferente dos CDBs, LCI/LCA, se a empresa emissora falir ou não pagar o que foi acordado, não há garantia Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Como me certificar de que não vou tomar calote?

Bom, essa pergunta é mais difícil de responder, mas você pode analisar algumas características que tornem o seu investimento o menos arriscado possível.

Se você preza por segurança e estabilidade, neste caso, vale priorizar empresas estáveis e sólidas. Vale lembrar que rentabilidade e risco andam de mãos dadas. Assim, debêntures mais seguras tendem a pagar menos e vice-versa.

Uma maneira de avaliar as debêntures é ver a escala Rating delas.

Uma pausa para explicar rating

É a nota que classifica o risco do crédito da empresa pesquisada, isto é, se ela tem condições de honrar seus compromissos.

As empresas que fazem esta avaliação são: Fitch Rating, Moody’s e Standard & Poor’s.

As escalas podem variar de A a C, ou A a D, e quanto mais próxima de A+, melhor a confiabilidade da companhia.

fonte: G1

Vale a pena investir em debênture?

Aqui é importante falar que a debênture é um tipo de investimento para diversificar a carteira, não sendo recomendável você investir todo seu dinheiro nela.

É um tipo de investimento com baixa liquidez. A empresa pode ir amortizando o pagamento ao longo do tempo ou pagar o principal na data do vencimento. Depende da política da empresa.

Apesar de você poder vender a debênture, você fará isso em um mercado secundário, ou seja, precisa de demanda para você conseguir concluir a venda.

Se tiver a possibilidade de investir uma quantia de dinheiro que você não precisa mexer, e dependendo das taxas acordadas, você pode vir a ter um bom rendimento na data do vencimento.

Como comprar uma debênture?

Agora que você já tem informações importantes sobre as debêntures, como você pode adquirir esse ativo?

Para comprar uma debênture, basta abrir uma conta no site de uma corretora para ter acesso às empresas que tem esse tipo de investimento disponível.

Para que uma companhia possa emitir debêntures, é preciso que ela seja Sociedade Anônima, com capital aberto ou fechado, e esteja cadastrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Antes de adquirir a que mais lhe interesse, por transferência bancária, investigue o rating dessa empresa.

Fundo de debênture

Uma forma mais segura de investimento nesse mercado.

Ao comprar uma cota do fundo, é como se o investidor adquirisse debêntures de várias empresas ao mesmo tempo.

Assim, mesmo se uma ou mais não honrar os compromissos, a perda será menor. Além disso, o fundo é administrado por um gestor que geralmente faz melhores escolhas onde investir e acompanha os investimentos de perto.

Apesar de o gestor te ajudar, não deixe de acompanhar seus investimentos de forma eficiente e segura. Conheça o Real Valor.

90 / 152