fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Faz sentido investir pouco dinheiro?

Muita gente me pergunta isso, então decidi escrever um texto para colocar tudo o que eu penso sobre valer a pena ou não investir quando se tem pouco dinheiro.

Independência financeira

O hábito de investir é a forma mais consistente de se alcançar a independência financeira.

Qualquer um que já montou uma planilha para fazer uma simulação de quanto dinheiro teria daqui a 30, 40 anos investindo sabe que os juros compostos demoram um pouco para começar a trabalhar, mas quando começa, é um crescimento explosivo.

É exatamente igual o que a gente vê acontecendo com o coronavírus: um crescimento exponencial. No começo eram poucos casos, mas em dado momento o negócio começou a tomar proporções imensas de forma muito rápida.

Com juros compostos é a mesma lógica: crescimento exponencial. No começo tem-se pouco dinheiro, mas em dado momento a curva começa a empinar e o patrimônio começa a se multiplicar.

Não seria legal ver seu dinheiro crescer no ritmo que o coronavírus se espalha?

Crescimento exponencial

Por isso investir é, sem dúvidas O caminho para a independência financeira.

Não acredita? Uma pessoa que investe R$500 por mês no tesouro selic (3% ao ano) tem, no final de 40 anos, R$460.226 sendo que ela investe apenas R$48.500 no período.

Isso é investindo sem correr riscos. Se esse investidor correr mais riscos e conseguir uma rentabilidade de 6% ao ano, os valores mudam para R$958.932 tendo investido os mesmos R$48.500.

Metas e objetivos

Na vida, devemos ir atrás de nossas metas e objetivos.

Se a independência financeira não é um dos objetivos que a pessoa tem na vida, então talvez investir não faça tanto sentido.

Investir significa abrir mão do dinheiro hoje pela possibilidade de ter mais dinheiro la na frente.

Se você não faz questão desse dinheiro lá na frente, investir vai ser uma grande tortura.

Não faz muito sentido abrir mão do dinheiro de agora em prol de mais dinheiro no futuro se você não faz questão desse dinheiro no futuro.

Nesse caso, de fato vale mais a pena gastar hoje com o que vai te satisfazer ou fazer feliz.

Eu particularmente tenho como objetivo a independência financeira e acho que todos deveriam.

Você tem vontade de alcançar a independência financeira? Então vamos à pergunta do título.

Investir pouco faz sentido?

Uma vez que você tem na cabeça que quer a independência financeira, agora vem a pergunta: Faz sentido investir pouco?

Existem duas respostas, pois existem duas formas de “investir pouco”.

Investir pouco e nunca reinvestir

Investir uma quantia pequena de dinheiro e deixar ele rendendo sem nunca mais fazer novos aportes acaba sendo muito pouco efetivo.

Digamos que você decida investir R$300 em renda fixa. Se você aplica no Tesouro Selic, você vai fazer R$9 no primeiro ano. No segundo, R$9,27.

Faz sentido abrir mão de R$300 para ganhar apenas R$9 depois de um ano? Talvez seja mais fácil achar uma nota de R$10 no bolso de uma calça sua.

Essa estratégia demora muito até começar a dar resultado. Para se ter uma ideia, depois de 40 anos, você terá feito R$ 679 de lucro, ou seja, teria R$ 967.

Investir pouco sem recorrência não dá resultado
Crescimento do patrimônio começando com R$300 e crescendo 3% ao ano

Como eu disse no começo, isso não é muito efetivo. O que eu costumo dizer apesar de ser 100% em prol se poupar e de se investir é que se a ideia for colocar pouco dinheiro e depois não fazer novos aportes, geralmente faz mais sentido usar esse dinheiro de outra forma.

Investir pouco e realizar novos aportes

Aqui o negócio fica interessante. Investir pouco não é nenhum problema quando se faz aportes (pequenos) de forma regular. Vamos a um exemplo, mas agora com aportes mensais.

A pessoa que investe R$100 por mês num Tesouro Selic termina os mesmos 40 anos com R$92.045 ao invés de R$967.

Investir pouco com recorrência dá resultado.
Com R$100 por mês e 3% ao ano, o patrimônio começa a empinar a partir do 10º ano.

Percebe a diferença que realizar novos aportes faz? É obvio que nesse exemplo, a pessoa também investiu mais dinheiro.

No total, foram R$48.100 investidos. Mas o importante é que ela conseguiu acumular MUITO mais.

Além do fato de ser uma estratégia contundente na direção da independência financeira, investir pouco com aportes mensais tem um benefício escondido que muitos não veem.

Investir é um aprendizado contínuo. Ninguém nasce sabendo.

E como todo aprendizado, existe a teoria e a prática. Você pode estudar o quanto quiser de teoria, mas tem coisas que só aprende na prática. Principalmente a controlar o seu psicológico para não tomar decisões baseadas na emoção ao invés da razão.

Se você começa a aprender a investir na prática com pouco dinheiro, você está expondo pouco dinheiro a erros de inexperiência.

Isso é ótimo.

Os erros vão vir com um custo baixo e vão trazer grandes aprendizados.

Do outro lado, ao começar a investir com bastante dinheiro, qualquer erro pode significar uma perda muito grande.

Por isso é excelente começar investindo pouco e com aportes regulares. No momento que você estiver com um patrimônio significativo, já vai ter acumulado experiência de muitos erros e acertos no mundo dos investimentos. E ela vai te ajudar a cometer menos erros quando tiver mais dinheiro em jogo.

Os três pilares para te levar à indêpendência financeira

Crescer o seu patrimônio depende invariavelmente de 3 pilares:

  • Ganhar bem
  • Gastar pouco
  • Ter alta rentabilidade com investimentos

Ganhar bem e gastar pouco no final se juntam numa coisa só: ter mais dinheiro para investir mensalmente. E a rentabilidade é o quanto você consegue extrair desse dinheiro que investe.

Não necessariamente conseguimos ter os 3 em todos os momentos da nossa vida, mas é importante ter em mente que essa combinação é capaz de tornar qualquer pessoa rica no longo prazo (estou falando de 30, 40, 50 anos).

Duvida? Pense no caso de uma pessoa que investe por 40 anos uma média de R$1.000 por mês com uma rentabilidade de 5% ao ano.

Lembrando que esses aportes mensais são uma média com o intuito de simplificar. Talvez seja difícil para a pessoa investir R$1.000 num primeiro momento, mas com o avanço profissional, esse valor tende a ser cada vez maior.

Essa pessoa, após 40 anos investindo terá 1,49 milhões de reais.

Investir R$ 1.000 por mês te deixa milionário
Milionário investindo R$1.000 por mês

Fazer o patrimônio crescer tem muito a ver com ter paciência e consistência. Se você investir um pouco todo mês em bons ativos e tiver a disciplina e paciência de manter esse hábito por anos, você já tem mais de meio caminho andado rumo à sua independência financeira.

Você já investe? Não? Por que? Se sim, você começou investindo pouco? Me conta como a época aqui nos comentários!

144 / 152