fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Faz sentido mexer na carteira de investimento em momentos de crise?

Não é segredo para ninguém que o coronavírus está derretendo as bolsas pelo mundo afora.

bolsas no mundo derretendo coronavírus

Inclusive, você viu que, mesmo com a maioria das bolsas caindo 30%-50%, a bolsa da China caiu menos de 15%? Tem explicação para isso e o texto que o Edu fez está demais! Vale a pena ler.

O que acontece então com a nossa carteira de investimento nesse momento é que, bom, a rentabilidade cai mesmo. 

Teve até um usuário do Real Valor bem humorado que nos mandou um feedback dizendo que o app dele estava com as setas todas vermelhas se a gente não podia corrigir isso. 

Nós também queremos as setinhas verdes na carteira de investimento, mas esse momento que estamos vivendo é de alta volatilidade no mercado, e a maioria está vendo sua rentabilidade cair. 

A gente fica ansioso para saber quando tudo vai se normalizar, mas é difícil prever neste momento quanto tempo os mercados irão permanecer voláteis.

Algumas pessoas ficam se questionando se é o momento de mexer na carteira de investimento, apostar numa estratégia de hedge, vender ativos, investir em ouro, entre outros. 

Uma coisa que é importante se ter na cabeça é que com a quarentena, muitas empresas tiveram que adotar mudanças e não sabemos quais são as consequências reais para nossa economia.

Inclusive, outro texto que recomendo que vocês leiam é “Por que o coronavírus não é o maior problema?”

Resolvi fazer esse texto para trazer a luz algumas questões para você refletir e entender se esse é o momento para isso. 

Vem comigo! 

1. De olho no lance.. ou melhor na estratégia

A melhor estratégia é aquela que você segue e confia. 

Vale lembrar que ao escolher uma estratégia e mudar em momentos de crise é que nem ir ao supermercado e trocar para fila que está andando mais rápido. Existe grandes chances de você demorar mais no supermercado do que se ficasse na primeira fila.

Dito isso, é preciso parar e refletir: quando você montou sua carteira de investimento…qual foi sua estratégia? Médio/longo prazo ou curto prazo?

Se for de longo prazo, tenha calma!!

Analisa seus investimentos.

Você confia na gestão dos fundos que tem no seu portfólio?

As empresas que você tem ações, tem fundamentos e você acredita que elas vão conseguir enfrentar essa crise e retomar o crescimento?

Procura analisar a solidez das empresas e fundos que investiu, quanto tempo têm de mercado, a qualidade da gestão, procura entender quem são os gestores, quais os feitos no mercado. 

Os fundos mais antigo, que tem mais 5, 10 anos,  já passaram por crises, por troca de presidente, por impeachment, por outras epidemias. Procura entender como foi esse período e depois das crises, como foi o crescimento. 

Aqui no Brasil a taxa de sobrevivência de empresas é algo em torno de 2 a 3 anos. 

Tem um estudo que diz que a cada 4 empresas, 1 fecha antes de completar 2 anos. 

Então veja se é o caso dos investimentos que você tem. 

Se você está pensando em entrar em renda variável, faça um planejamento. Estude o mercado, entenda as empresas que você quer comprar, conheça a análise fundamentalista. 

2. Sua carteira de investimento está diversificada?

A gente sempre bate nessa mesma tecla aqui, mas porque acreditamos que a diversificação é a chave para você proteger seus investimentos. 

Inclusive, a máxima da teoria moderna de finanças que diz assim: “é fundamental diversificar os investimentos para diminuir os riscos e maximizar o seu retorno”.

Não dá para colocar todos os ovos em uma cesta só, certo? 

Nem 100% em renda variável, nem 100% em renda fixa. 

Os cortes da SELIC, faz com que investimentos em renda fixa tenham uma rentabilidade cada vez mais baixa.

Entretanto, é importante que você tenha um colchão de segurança para emergências ou algum ativo com alta liquidez.

Dessa forma, em momentos em que a bolsa está tão em baixa você consegue, por exemplo, vender sua posição numa renda fixa de alta liquidez para aproveitar uma oportunidade de mercado de renda variável. 

3. Faz sentido realizar perdas?

Você só realmente perde dinheiro quando vende sua posição. 

Não é uma perda, se você nunca vendeu

Com a situação atual, realizar perda nesse momento é vender um ativo por um valor mais baixo do que ele realmente vale. 

O ideal é que quando o mercado se move muito rápido, a gente se mova mais devagar, para não entrar no efeito manada. Ou seja, tenha noção das decisões que vai tomar e das consequências dela.

Uma questão importante aqui é, se você realizar prejuízo, você vai alocar o dinheiro em algo que vai te trazer mais rentabilidade no futuro ou você simplesmente que ter a sensação de que seu dinheiro está com você?  

Se você for alocar em outro investimento, qual vai ser? Lembre-se que o mercado está extremamente volátil. Evite tirar a posição toda em um dia de mercado, em épocas de crise um dia pode ser completamente diferente do outro. Tenha atenção.

Por isso é importante um planejamento em relação à liquidez. Dessa forma, você pode sacar o dinheiro da renda fixa e não realizar prejuízo em renda variável. 

4. A hora do rebalanceamento?

Quando começamos a investir, é sempre bom ter um balanceamento alvo. Um percentual em renda fixa e um percentual em renda variável. A partir daí, você começa a diversificar em produtos, liquidez, risco, rentabilidade, etc.

Inclusive, o Gabriel escreveu um excelente texto falando sobre como balancear a sua carteira.

Acontece que se você balanceou sua carteira pensando nisso, agora pode ser uma ótima hora de rebalancear.

O rebalanceamento nada mais é do que voltar aos percentuais iniciais.

Sabe porque o rebalanceamento é importante? Por que lá atras você decidiu que queria investir, digamos, 50% em renda variável e 50% em renda fixa.

Hoje, com o derretimento da bolsa, é provável que o seu balanceamento esteja diferente. Com mais em renda fixa e menos em renda variável. Simplesmente porque a renda variável se desvalorizou.

Agora pode ser uma boa hora de refazer o balanceamento que você tinha pensado lá atrás.

Sabe por que? Porque rebalanceando você está sempre comprando na baixa e vendendo na alta. Não necessariamente você vai comprar no ponto mais baixo e nem vender no ponto mais alto. Mas esse não deve ser o objetivo. Ninguém consegue acertar esses pontos com consistência.

Mas importante que isso é seguir na linha de comprar barato e vender caro.

5. Torcedores, calma

Vocês conhecem essa história? 

Um time de futebol carioca estava indo muito mal no campeonato e perdendo um jogo atrás do outro. Eis que em um dos jogos, aparece no telão a célebre frase: Torcedores, calma! 

Por que eu trouxe isso para o texto? 

Não é o momento de panicar. Tem muito ativo caindo e tem muita gente que acaba vendendo sua posição devido ao efeito manada. 

A gente vem trazendo esse conceito em vários textos, porque isso acontece muito! 

O psicológico das pessoas acaba traindo nesse momento de  crise, porque muito investidor vê os ativos caindo 5% e vende no desespero para não perder mais. 

O ideal aqui é parar e analisar: o fundamento da empresa permanece no curto prazo? Se a resposta for sim, se pergunte vai vender por quê?

Se você vender porque PRECISA do dinheiro para pagar uma conta, por exemplo, é uma coisa. Mas isso é ruim, pois no seu planejamento financeiro deveria ter um colchão de liquidez de renda fixa. Reflita se você está fazendo as melhores escolhas como reservas de emergência, ok? 

Se for só para ter a sensação de segurança, aconselho você repensar. 

Ah mas não tenho estômago para isso! Então sua estratégia foi montada de forma equivocada, porque não levou em consideração seu perfil de investidor. 

Conclusão

Sei que falei muita coisa e não dei nenhuma resposta direta, pelo simples fato de que cada investidor é um investidor e é preciso levar em consideração algumas variáveis, como as que apontei no texto, principalmente o perfil de cada um e o apetite para risco.

Mas vamos recapitular o que falei: 

  1. Analise sua estratégia, veja se ela é de longo, médio ou curto prazo e se está de acordo com seu perfil
  2. Avalie seus ativos, conheça eles mais de perto
  3. Como está a diversificação da sua carteira? Existe um colchão de emergência ou um que você consiga resgatar rapidamente seu dinheiro para aproveitar oportunidades do mercado?
  4. Essas oportunidades do mercado, você realmente acredita nelas, ou está seguindo fluxo só porque está barato?
  5. Vale a pena realizar prejuízo? Vai fazer o que com o dinheiro? Alocar em um outro ativo que vai te trazer mais rentabilidade no futuro ou quer o dinheiro pertinho de você?
  6. Aproveite a quarentena para estudar mais sobre o mercado! Investimento em estudos sempre traz bons frutos!

Não deixe de acompanhar seus investimentos mesmo em época de baixa, quanto mais você conhecer seus investimentos, mais seguro você fica!

Você vai fazer o que com sua carteira de investimentos? Comenta aqui!

129 / 278