Está acontecendo o saque do FGTS. E como é sempre bom contar com uma graninha extra, ao sacar, você já começa a pensar no que fazer com ela. Talvez, comprar algo que você queria há algum tempo ou fazer uma surpresa legal para a família. Mas o que você acha de investir e crescer o seu patrimônio? Pensando bem, provavelmente não existe forma melhor de usar este dinheiro. Então, confira este artigo e entenda como você pode investir o saque do FGTS.

O saque do FGTS

O Governo liberou no mês passado, o início do saque do FGTS, com um limite de R$ 500 por conta. Com isso, a expectativa é colocar mais de R$ 40 bilhões na economia do país neste ano e no próximo, seguindo a missão do Governo por estimular o crescimento econômico.

Por quê investir este dinheiro vale a pena?

Onde investir o FGTS

Convenhamos, que o brasileiro tem uma relação um pouco ruim com o dinheiro. Em nenhum momento, nós fomos ensinados a cuidar bem dele e muita gente ainda tem medo ou não acredita que vale a pena investir.

Por exemplo, há quem ache que R$ 500 é pouco para investir ou que isso é coisa de rico. Tudo isso está longe da verdade. Existem investimentos bem baratos, que você pode começar a fazer até mesmo com menos de R$ 100.

E investir é importante e vale muito a pena, mesmo começando com pouco. Crescer o patrimônio significa que você investir muito mais, se tornando cada vez mais independente do ponto de vista financeiro.

Todo mundo quer mais dinheiro, não quer? Ao pensar nisso, é um pouco difícil entender por que as pessoas não investem mais. Talvez, é por acreditar que é difícil, que não é seguro, que não vale a pena. Se não é a motivação que faz as pessoas deixarem de investir, só pode ser a falta de conhecimento. Vamos começar a resolver este problema, conferindo onde investir o dinheiro do saque do FGTS.

Onde investir o saque do FGTS?

Vamos começar listando as opções de renda fixa. Estes são os investimentos mais recomendados por quem ainda não é especialista. Isso, porque você aplica o dinheiro e ele rende de acordo com um valor esperado, que costuma ter uma variação bem pequena em relação ao todo. Confira os mais comuns.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma excelente opção para quem quer segurança.

Segurança

Mas vamos falar um português bem claro. Existe uma relação bem direta entre segurança e rendimento. Ou seja, quanto maior a segurança, menor o rendimento que o investimento pode trazer, enquanto o contrário também é verdade. Maiores rendimentos significam mais riscos.

Com isso em mente, o Tesouro Direto é o que tem a maior segurança do país. Isso, porque ele é emitido por nada mais nada menos do que o Tesouro Nacional. Portanto, para não receber o seu dinheiro é preciso que o Governo quebre, o que é pouco provável.

O tesouro é um título emitido pelo Governo para captar recursos. Na prática, o Governo precisa de dinheiro e, ao comprar o título, você o empresta. Ele devolve para você com os juros que são o rendimento. Bem fácil de entender.

Além da segurança a vantagem é que o Tesouro pode variar de acordo com o seu objetivo. O Tesouro Selic, por exemplo, tem liquidez diária. Isso significa que você pode retirá-lo quando quiser e o seu rendimento segue a taxa Selic, o indicador mais básico da economia brasileira.

Por outro lado, o Tesouro IPCA segue este outro indicador, da inflação. Este investimento é recomendado para o longo prazo, podendo ter aplicações até 2045, e por seguir a inflação você se protege qualquer alteração na economia.

Com toda esta segurança o Tesouro Direito acaba tendo um rendimento relativamente baixo, mas muito maior do que a poupança e, especialmente maior do que deixá-lo parado.

Se quiser saber mais sobre o tesouro direto, dá uma lida nesse post que eu escrevi aqui no blog.

O CDB

O CDB é um investimento parecido com Tesouro Direto, mas está atrelado às interações entre os bancos. Também é extremamente seguro, por ser garantido pelo FGC, o Fundo Garantidor de Créditos.

Esta é uma instituição privada que garante o retorno do investimento caso um banco quebre. É uma ótima forma do mercado se autorregular e se tornar mais confiável.

LCA e LCI

Também são ótimas opções, mas mais voltadas para o médio prazo. A vantagem destes investimentos é que eles são totalmente isentos do imposto de renda, já que buscam alavancar certos setores estratégicos da economia, a agricultura e os imóveis, respectivamente.

Estes e todos os acima são investimentos em renda fixa, mais seguros e previsíveis, com um risco muito pequeno ou quase zero. São ótimas opções para quem começa a investir e ainda está um pouco inseguro.

Em todos eles você pode escolher o prazo de vencimento, ou seja, quando irá receber o retorno, de acordo com o seu planejamento pessoal. Então, por exemplo, se você busca comprar um imóvel em alguns anos, pode investir em uma aplicação que vai ajudar você neste objetivo.

Fundos de Investimento

Se você quiser colocar uma pimentinha na situação, pode apostar nos fundos de investimento. Basicamente, são grupos de investidores que investem em uma mesma aplicação, gerida por profissionais. É um pouco mais arriscado, mas como são os profissionais que tomam as decisões, é bom para quem está começando.

Um detalhe que se deve levar em consideração é a aplicação mínima. Existem fundos onde você precisa aplicar valores maiores.

Para entender a FUNDO sobre FUNDOS, clique aqui.

Não deixe o dinheiro na poupança

Com tantas opções à sua disposição, deixar o dinheiro do FGTS na poupança é um desperdício. Seu rendimento é muito pequeno e praticamente inexistente ao reduzir todos os impostos, taxas e a inflação.

A poupança também tem redução do imposto de renda, dependendo do valor, e é menos segura do que o Tesouro Direto, por exemplo. Então, considere outras opções.

Conclusão

Existem diversos mitos sobre o investimento e a maioria não é verdade. Investir não é difícil e muito menos coisa de rico. Mas também, não existe fórmula mágica para enriquecer rápido.

O que você pode fazer, é aplicar o seu dinheiro em investimentos seguros para o seu patrimônio crescer. Os R$ 500 do FGTS são uma ótima forma de começar.