fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Fundos com cashback qual a diferença?

Se tem uma coisa que vem crescendo no Brasil nos últimos tempos é o cashback.

Olha o gráfico que mostra pesquisas por cashback no google nos últimos tempos, perceba a empinada na curva no último mês.

Além de estar fazendo sucesso nas compras, o cashback está cada vez mais presente no mercado financeiro. 

Mas você sabe dizer o que o cashback pode impactar seus investimentos?

Vem que eu te explico!

Afinal de contas, o que é cashback?

A tradução mais literal de cashback, e que eu acho que explica bem, é “dinheiro de volta”. 

Apesar de esse modelo de compras ser muito comum nos EUA desde os anos 90, no Brasil começou em meados de 2007 de forma bem tímida e sem muita força. 

Aqui quando a esmola é demais o santo desconfia: quem daria dinheiro dessa forma para outra pessoa?

Algumas pessoas ainda acham que é desconto, mas na verdade a cronologia que o dinheiro volta faz diferença.

O desconto é dado antes da compra, enquanto o cashback depois da compra. Isso em termos de marketing faz diferença. Quando o desconto acontece, você pode estar diminuindo a percepção de valor de um produto, mas isso é assunto para outro tipo de texto! 

Voltando, o mercado foi entendendo melhor essa prática, muitas fintechs apareceram (Ame, Picpay, Meluiz) e hoje em dia você já consegue encontrar fundos de investimento com cashback.

Como acontece o cashback nos fundos de investimentos?

Primeiro vamos repassar como a cadeia que faz parte das transações do  fundo de investimento é remunerada.

Se você ainda não sabe como um fundo de investimento funciona, dá uma olhada nesse texto aqui. 

Na maior parte dos casos, as gestoras independentes não têm o foco de marketing para atrair investidores, mas sim foco na gestão para entregar bons retornos. Por isso, geralmente fecham acordos com distribuidoras — como Vitreo, XP, BTG Pactual, Ágora, Pi, Órama, etc.

O fundo faz a gestão do dinheiro do investidor, o banco/corretora/agente autônomo apresenta para o investidor os fundos. 

Parecido com uma empresa que fábrica, digamos, achocolatado. A fábrica produz o achocolatado, mas quem expõe a clientes é o supermercado. E ele não expõe lá de graça.

Então qual é a lógica aqui:

O investidor paga uma taxa para o fundo. Uma parte desta taxa uma parte fica com o banco/corretora/agente como comissão (rebate).

Um modelo muito usado é 2 com 20 (2% de taxa de administração + 20% de taxa de performance). Para saber mais sobre isso, fiz um texto sobre o assunto

Mas qual é o principal problema nesse modelo de rebate? 

Conflito de interesse. Pode ser que a corretora/banco ou agentes autônomos e gerentes de investimentos não indique o melhor fundo para você como investidor, e sim o que tiver melhor rebate, para fazerem mais dinheiro. Lembrando aqui que nem todos fazem isso.  

E onde entra o cashback?

O que alguns distribuidores estão fazendo é dividir esse rebate com os investidores e gerando o cashback. Com isso, você investe em fundos e recebe de volta parte da taxa de administração que pagou.  Além disso, dessa forma o distribuidor pode baixar a taxa de administração do fundo. Ué, mas a taxa não precisa ser a mesma para todos cotistas?

Sim, mas com o cashback a taxa de administração diminui. 

Mas será que vale a pena mesmo?

Se pensarmos no longo prazo, você tem um retorno maior do que sem cashback.

Peguei um fundo de exemplo na Vitreo, mas não é recomendação, o Trígono Flagship 60 Small Caps. 

Para facilitar as contas, suponhamos que ele tenha 10% de rendimento a.a. nos próximos 10 anos. O cashback é de 0,202% a.a e não terão aportes no meio do caminho. Vamos investir R$ 100.000,00

Nos próximos 10 anos, a rentabilidade do fundo com cashback seria de 191% enquanto, o mesmo fundo renderia 185% sem cashback. Quase R$ 6.000,00 de diferença. 

Então podemos concluir que se o fundo é exatamente o mesmo, a diferença é que em alguns distribuidores, você recebe um dinheiro de volta enquanto em outros não.

Sendo assim, a diferença de R$6k pode não ser tão grande, mas você não correu nenhum risco a mais por ele. Na verdade correu exatamente o mesmo risco.

Olhando por esse prisma, investir num fundo X sem cashback ou investir no mesmo fundo X com cashback é tipo fazer uma pergunta para uma pessoa:

Você prefere ganhar R$19,00 ou R$23,00? 

Não havendo uma condição negativa (que não há no caso de cashback), pela lógica não faz sentido preferir R$19,00, ou seja, escolher o fundo sem cashback.

Quais fundos de investimento tem cashback?

Fiz um levantamento dos fundos que os usuários do Real Valor mais investem e que tem cashback:

  • ALASKA BLACK INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO DE ACOES
  • EQUITAS SELECTION FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE ACOES
  • IBIUNA HEDGE STH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO
  • GIRASSOL FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES
  • TREND DI SIMPLES FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA
  • ICATU VANGUARDA PRE FIXADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO
  • BRASIL CAPITAL 30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM ACOES
  • FORPUS ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE ACOES
  • INDIE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE ACOES
  • KAPITALO TARKUS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES

Qual a diferença da Vitreo, Pi e Inter?

A forma que eles remuneram os investidores com o cashback. 

No caso da PI e do Banco Inter o rebate geralmente é de 50%, ou seja, se a taxa que eles receberem for de 1%, deduzindo os impostos (25%) o rebate líquido seria de 0,75%. Então,  eles ficam com 0,35% e devolvem 0,35%.

Já a Vitreo limitou o seu recebimento de rebate a 0,2%. Tudo que exceder esse valor volta para a conta do cliente. Dessa forma, mitiga o incentivo desproporcional entre produtos, já que não há motivação para destacar um fundo que pague mais em relação ao outro.

Ou seja, se eles receberem 1% de rebate, com 0,75% de rebate líquido, a Vitreo fica com 0,2% e o investidor recebe 0,55%.

Em contrapartida, se um fundo pagasse apenas 0,3% de rebate líquido, a Vitreo ficaria com 0,2% e repassaria ao investidor os 0,1% restantes. 

Já o Banco Inter e a Pi dividiria igualmente esse valor com o investidor, ficando com 0,15% e repassando 0,15%. 

Esses exemplos acima, não consideram a taxa de performance, que também podem entrar no cashback. 

Na Vitreo, o valor da taxa de perfomance é repassada para o investidor, mas sempre bom conferir nas lâminas do fundo. 

Nos fundos da Pi e do Inter também é preciso verificar fundo a fundo. 

Você já investe em fundo com cashback? Qual? Conta pra a gente

banner-real-valor
190 / 324

Leave a Reply

Required fields are marked