fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

O que são e para quê servem os indexadores de mercado?

Se você já entrou em alguma plataforma de investimentos (em uma corretora, por exemplo) ou no site de alguma gestora de recursos, já deve ter se deparado com os chamados indexadores de mercado. Eles são usados como índices comparativos de rentabilidade, que ajudam a monitorar o desempenho da sua carteira de investimentos. Ibovespa, CDI, IPCA e até mesmo o Bitcoin são usados para esse fim. 

Além de monitorar a rentabilidade servindo como benchmarks, os indexadores também são índices de referência na hora de corrigir preços e evitar volatilidade do mercado. Por exemplo, o valor do aluguel costuma sofrer variações anuais tendo como base o IPCA, que é o principal índice de inflação brasileiro. 

Os indexadores variam conforme o tipo de aplicação, considerando os riscos e o retorno dos rendimentos. Comparar sua carteira de títulos públicos com o Ibovespa não seria correto, uma vez que você estaria avaliando a performance de ativos de renda fixa com um índice baseado em renda variável. 

Por isso, o mercado usa diferentes índices comparativos. No aplicativo do Real Valor, você pode monitorar e comparar o rendimento da sua carteira com os indexadores mais relevantes.

O que é benchmark financeiro?

O termo benchmark pode ter vários significados dependendo da área. No contexto financeiro, benchmark é o parâmetro usado para avaliar a performance de um ativo ou fundo. Os indexadores de mercado podem servir como benchmark de fundos e carteiras de investimentos. 

Exemplo: um fundo de ações internacionais pode ter como seu benchmark o S&P 500, que é um indexador americano baseado nas ações das 500 maiores empresas listadas nas bolsas americanas NYSE e NASDAQ. Se o fundo está performando acima do S&P 500, este é um bom sinal. 

É importante lembrar que nem sempre os benchmarks usados são indexadores, embora a prática mais comum no mercado seja usar os índices mais conhecidos. 

Imagem: Giphy

Quais são os principais indexadores de mercado?

Como existem diferentes ativos sendo negociados no mercado financeiro, então é coerente que existam também diferentes indexadores, a fim de que a comparação seja justa, a depender dos riscos e do potencial de retorno das aplicações. 

CDI

O “Certificado de Depósito Interbancário” foi criado para definir a taxa de juros sobre a qual os bancos emprestam entre si. Seu valor se assemelha bastante à Selic, a taxa básica de juros da economia. O CDI é um dos indexadores mais utilizados do mercado, principalmente se tratando de aplicações de renda fixa, como CDBs, letras de crédito (LCI e LCA), debêntures e fundos DI. 

Além de ser um índice comparativo, ele também influencia na rentabilidade de títulos públicos pós-fixados. Um investimento pós-fixado geralmente é atrelado a um percentual do CDI. Portanto, se o DI sobe, a rentabilidade deste investimento sobe também. O mesmo ocorre quando o DI cai. Como ele é próximo da Selic, isso explica por que os investimentos de renda fixa se tornam mais atrativos em momentos de juros altos. 

LEIA MAIS:

O que é CDI e como ele impacta seus investimentos?

Renda Fixa prefixada ou pós fixada?

IBOV

O Ibovespa é o principal medidor de desempenho das ações negociadas na B3. Seu cálculo é feito a partir de uma carteira teórica de ativos, montada seguindo critérios da própria Bolsa. A cada quatro meses, ela é reavaliada, podendo haver entrada e saída de empresas.

O IBOV serve como uma medida do quanto as principais ações negociadas na Bolsa subiram ou desceram. Por isso, quando se diz que “o Ibovespa está caindo”, significa que as ações brasileiras não estão performando bem e o investidor provavelmente perderá dinheiro. 

É importante lembrar que o Ibovespa é uma média da performance dos tickers selecionados. Portanto, é possível que uma determinada ação esteja performando bem, mesmo em momentos de queda do índice. Por estar atrelado à B3, é usado como índice comparativo de aplicações em renda variável

IPCA

Em termos simples, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor) é o índice da inflação. Embora existam outros indicadores que se relacionam com o aumento generalizado dos preços, ele é o mais usado no mercado financeiro. Os investimentos, idealmente, não devem render menos que o IPCA, já que isso significaria uma perda no poder de compra

Você deve ter sempre em mente que a rentabilidade real é o retorno de um investimento descontando a inflação do período da aplicação. É justamente o que faz o seu patrimônio aumentar ao longo do tempo.

O IPCA é o indicador oficial usado pelo Banco Central para definir as metas de inflação

Poupança

Os rendimentos da poupança também podem servir como índices de referência para avaliar o desempenho da sua carteira de investimentos. Assim como acontece com a inflação, é interessante que seus investimentos rendam mais que a poupança, já que ela é o investimento mais “básico” do mercado. 

Se sua carteira de ações está rendendo menos que a poupança em um ano, significa que algo está errado. Afinal, quando se toma mais riscos, se espera rendimentos maiores. A poupança envolve pouquíssimos riscos e, por isso, oferece uma rentabilidade bem pequena

IFIX

O IFIX é como o “Ibovespa dos fundos imobiliários”. Comparar o desempenho dos FIIs com o de ações seria incoerente.

Então, a B3 fez o IFIX, que é calculado de forma bem semelhante ao IBOV, criando uma carteira teórica de ativos. Ele é o indicador do desempenho médio das cotações dos fundos imobiliários negociados na Bolsa.

Como é de esperar, o IFIX é um indexador de mercado usado como benchmark de fundos de investimentos imobiliários

Bitcoin

Sim, o Bitcoin também pode servir como um benchmark para avaliar a performance da sua carteira. Claro que, por ser um ativo “fora da curva” e disruptivo, ele é usado como referência para aplicações com características semelhantes. 

O Bitcoin se tornou uma uma referência, pois foi a primeira criptomoeda do mercado e possui o maior valor de mercado.

Assim, inúmeros criptoativos e fundos de criptomoedas costumam ter como base comparativa o Bitcoin. 

Dólar 

A variação do dólar em um determinado período pode ser usada como indexador de mercado e benchmark de aplicações financeiras, como fundos cambiais, por exemplo. 

S&P 500 

O S&P 500 é uma carteira teórica composta por 500 das maiores ações listadas na NYSE e na NASDAQ, servindo como um “Ibovespa dos Estados Unidos”, já que é o principal benchmark usado para medir o desempenho dos ativos americanos. Fundos multimercado com exposição internacional podem ter o S&P 500 como índice comparativo, por exemplo. 

Todos esses indexadores estão disponíveis no aplicativo do Real Valor, para que você possa comparar sua carteira e ver se ela está performando bem. O interessante é que você também pode checar o desempenho de cada ativo isoladamente em relação a esses benchmarks. Com base nessas informações, certamente você conseguirá tomar melhores decisões de investimentos. Baixe o app gratuitamente aqui!

Outros indexadores de mercado para conhecer

  • IGP-M: Índice Geral de Preços do Mercado;
  • SMLL: Índice de small caps (empresas com baixo valor de mercado); 
  • IBrA: Índice Brasil Amplo;
  • Índice Dow Jones;
  • NASDAQ-100;

Veja aqui todos os índices disponíveis na B3

Compare sua carteira com os principais indexadores de mercado

No consolidador de investimentos Real Valor, você pode:

  • Selecionar vários indexadores de mercado como benchmarks para sua carteira completa. 
  • Comparar cada um de seus ativos com os indexadores adequados. Exemplo: avaliar a performance de VALE3 em comparação com o Ibovespa. 
  • Ver se seus investimentos estão tendo ganho real, isto é, acima da Inflação (IPCA);
  • E muito mais!

QUERO BAIXAR GRATUITAMENTE O APLICATIVO DO REAL VALOR

322 / 377

Leave a Reply

Required fields are marked