Maiores altas da bolsa em Abril/19

O mês de abril chegou ao fim e chegou aquele momento de matar a curiosidade e ver quais ativos performaram excepcionalmente bem e quais foram aqueles que despencaram.

Maiores altas do Ibovespa

  1. BRFS3 34,7%
  2. JBSS3 21,4%
  3. MRFG3 20,4%

As 3 maiores altas do Ibovespa vieram do mesmo setor: frigoríficos.

Desde o final de 2018, a china vem registrando casos de gripe suína que vem atrapalhando a vida dos pecuaristas asiáticos. Muitos animais tiveram que ser sacrificados para evitar o contágio, fazendo com que o estoque chinês minguasse bastante nos últimos meses.

Sendo assim, não resta outra alternativa se não importar carne. E ai que entram as 3 maiores altas do Ibovespa: surfando essa crise suina asiática.

Vale ressaltar que quem aproveitou para comprar JBSS3 depois do dia da delação do Joesley hoje está sorrindo de orelha a orelha. A ação chegou a valer R$ 6,26 e hoje está no patamar dos R$ 19,77.

JBS foi muito afetada no Joesley Day

Maiores quedas do Ibovespa

  1. CIEL3 -18,9%
  2. USIM5 -14,2%
  3. ECOR3 -11,8%

Cielo (CIEL3) foi a maior queda do Ibovespa por ser uma das empresas que mais sofreram com a política agressiva da concorrente Rede.

Cielo foi muito afetada pela Rede

A Rede decidiu abolir a taxa para antecipação de recebíveis para quem tem conta no Itau. Pouco tempo depois, outro concorrente, o Safra Pay anunciou a mesma medida. Zerar a taxa de antecipação significa basicamente deixar de graça um serviço que as concorrentes cobram. Com isso, o mercado ficou bastante cauteloso com as empresas de maquininha.

Ações da Stone (negociadas na bolsa de Nova York) chegaram a cair 25% no dia que a Rede anunciou a nova política.

Usiminas (USIM5)mostrou números melhores do que o esperado, mas depois de ser rebaixado pelo Credit Suisse acabou sendo a segunda da lista do Ibovespa em quedas.

Ecorodovias (ECOR3) viu seu preço cair bastante relacionado ao fraco desempenho dos resultados trimestrais.

Maiores altas: Tesouro Direto

  1. IPCA+ Juros Sem 2020 0,8%
  2. IPCA+ 2019 0,8%
  3. IPCA+ Juros Sem 2024 0,6%

Quem roubou a cena esse mês no tesouro direto foram os títulos atrelados a inflação de duration curta. O IPCA teve uma alta de fevereiro para março de 0,43% para 0,75%.

Detalhe para o título IPCA+ 2019 que vence esse mês, no dia 15. Se você tem um desses títulos fique atento para reinvestir!

Maiores quedas: Tesouro Direto

  1. IGPM+ Juros Sem 2021 -1,8%
  2. IPCA+ 2045 -0,3%
  3. Prefixado 2025 -0,1%

Alguns títulos acabaram registrando resultado negativo no mês de abril. Destaque para o IPGM+ 2021 com cupom (que já não é mais negociado), e o IPCA+ 2045 e Prefixado 2025 que ainda são negociados.

Maiores altas: AÇÕES

  1. QCOM34 52,0%
  2. BRFS3 34,7%
  3. AMAR3 29,1%

Maiores quedas: AÇÕES

  1. IDVL3 -50,5%
  2. PPLA11 -48,8%
  3. IDVL4 -46,0%

Maiores altas: FIIs

  1. FLMA11 16,3%
  2. FAMB11B 12,7%
  3. GRLV11 12,5%

Maiores quedas: FIIs

  1. RBDS11 -13,3%
  2. FPAB11 -7,2%
  3. BZLI11 -6,6%

Maiores altas: ETFs

  1. SPXI11 4,4%
  2. IVVB11 3,8%
  3. DIVO11 1,7%

Maiores quedas: ETFs

  1. FPOR11 -16,9%
  2. FSRF11 -12,5%
  3. MMXM11 -6,0%

A importância de acompanhar investimentos

É interessante ver quais são os ativos que mais variam de mês para mês, mas não se engane: o mais importante é saber ao certo o quanto os seus estão variando.

Se um ativo bom estiver em queda, pode ser uma oportunidade de comprar mais. Se um ativo está em alta por muito tempo e ultrapassou o seu valor intrínseco, pode ser uma boa hora de vender.

Investir sem acompanhar é como comprar um carro e não fazer manutenção.

Quer saber mais sobre a importância de acompanhar investimentos? Dá uma olhada nesse post aqui do blog.

Tags In
72 / 75