O mês de maio chegou ao fim e chegou aquele momento de matar a curiosidade e ver quais ativos performaram excepcionalmente bem e quais foram aqueles que despencaram.

Maiores altas do Ibovespa

Apesar de um cenário desfavorável do governo atrasando o pagamento do Minha casa, Minha vida, MRV (MRVE3) divulgou resultado com um aumento de do lucro em 18% em relação ao mesmo período do ano passado. Isso foi o suficiente para os investidores apostarem na empresa e o preço subir.

Os investidores voltaram a ficar otimistas com a Gol (GOLL4) depois que o congresso aprovou um projeto de lei que permite 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas no Brasil.

Maiores quedas do Ibovespa

O principal destaque negativo foi a Suzano (SUZB3). O principal motivo para essa queda foi a queda do preço da celulose no mundo por causa do aumento da oferta sem aumento da demanda. Suzano bem que tentou amortecer a queda cortando a produção e estocando celulose, mas isso acabou não sendo o suficiente para segurar a queda da ação.

Para quem não sabe, B2W (BTOW3) é a dona da americanas.com e submarino.com.br. Depois de divulgar um resultado do trimestre com prejuízos de R$ 139.2 milhões, os investidores preferiram se afastar da ação por ora, fazendo o preço cair.

Cielo (CIEL3) continua a sua queda livre. Dessa vez, o principal motivo foi a direção da empresa divulgar que vão cortar os dividendos.

Maiores altas: Tesouro Direto

  • IPCA+ 2045 10,2%
  • IPCA+ 2035 6,5%
  • IPCA+ Juros Sem 2050 5,2%

Os principais destaques do tesouro direto no mês de maio foram as antigas NTN-B, que hoje são chamadas de IPCA+. Isso se deve principalmente à mudança de percepção dos investidores quanto à SELIC até o final do ano.

Se no começo do ano era esperado até uma alta da SELIC, hoje os especialistas acreditam mais fortemente num corte, tornando a renda fixa cada vez menos atrativa. Como o tesouro direto tem valor de mercado, os títulos comprados antes acabam se valorizando por pegar uma situação favorável em relação ao futuro.

Maiores quedas: Tesouro Direto

Maiores altas: AÇÕES

Maiores quedas: AÇÕES

Maiores altas: FIIs

Maiores quedas: FIIs

Maiores altas: ETFs

Maiores quedas: ETFs

A importância de acompanhar investimentos

É interessante ver quais são os ativos que mais variam de mês para mês, mas não se engane: o mais importante é saber ao certo o quanto os seus estão variando.

Se um ativo bom estiver em queda, pode ser uma oportunidade de comprar mais. Se um ativo está em alta por muito tempo e ultrapassou o seu valor intrínseco, pode ser uma boa hora de vender.

Investir sem acompanhar é como comprar um carro e não fazer manutenção.

Quer saber mais sobre a importância de acompanhar investimentos? Dá uma olhada nesse post aqui do blog.