O que são opções e como elas funcionam

Sempre que falamos de renda variável, pensamos em ações. As opções são um outro tipo de investimento de renda variável que tem características interessantes e que ajudam a alavancar o portfólio do investidor.

Para entender como uma opção funciona, é interessante que você já entenda um pouco de como ações funcionam. Caso você queira entender um pouco mais, dá uma olhada no post de ações que escrevi aqui no blog.

O que é uma opção

Uma opção (ou contrato de opção) é um tipo de derivativo. Ele leva esse nome porque seu preço deriva (isso é, depende) de outro ativo. Nesse caso, como estamos falando de opção de ações, o preço dela depende o preço da ação.

Ao comprar uma opção, você tem o direito (mas não a obrigação) de comprar ou vender um ativo a um preço especificado até determinada data.

Do outro lado da moeda, existe o lançador da opção, que é quem vende a opção no primeiro momento. Ele tem a obrigação de vender/comprar o ativo caso o dono da opção decida exercer seu direito.

Epa. Peraí. Esse assunto ficou complexo muito rápido. Então vamos partir direto para um exemplo.

Obama não entende o que são opções

Exemplo

Vamos supor que você tem um amigo chamado Neymar que joga futebol muito bem. Você tem certeza que ele vai virar profissional e ser muito famoso.

Hoje ele usa uma chuteira que custa R$200. Caso ele realmente vire profissional, essa chuteira poderia ser leiloada por muito mais dinheiro que isso. Talvez milhares de reais.

Você compraria essa chuteira por R$300? É uma pergunta difícil. Hoje ela vale R$200 e está usada, então não faz muito sentido. Mas caso o Neymar vire um jogador profissional, essa chuteira usada por ele antes da fama pode passar a valer mais de R$5.000 e, nesse caso, comprar por R$300 parece ser um negócio da China.

É aí que entra o conceito de opção.

Imagina você ter um contrato em mãos que te garante o direito de comprar essa chuteira por R$300 até o final de 2022. Caso o Neymar acabe não virando um profissional, não tem problema. É só você optar por não exercer esse contrato, isso é, não compra a chuteira e não gasta os R$300. Agora, se Neymar ficar famoso, você compra a chuteira por R$300 e depois leiloa por um valor muito maior.

Chuteira simboliza o ativo da opção do exemplo

Nesse caso, você é o tomador da opção. Você tem o direito, mas não a obrigação de comprar a chuteira. O Neymar é o lançador da opção. Caso você decida exercer o seu direito, o lançador tem a obrigação de vender o ativo.

No mercado financeiro, você consegue comprar e vender esse contrato através do homebroker da sua corretora com alguns cliques.

Características de uma opção

Preço da opção (ou prêmio)

Para você ter o direito de comprar um ativo a um preço X, até a data Y você precisa desembolsar uma quantia. Esse é o preço da opção, também chamado de prêmio.

Voltando ao exemplo do Neymar, é como se você pagasse o Neymar R$10 para ter aquele contrato que garantiria o direito da compra da chuteira por R$300 até 2022.

Preço de exercício (ou strike)

É o preço pelo qual você tem o direito de comprar o ativo (exercer a opção), ao deter o contrato. No caso do Neymar, o preço de exercício é R$300, porque você tem o direito de comprar a chuteira por esse valor.

Data de vencimento

Data de vencimento de opções

Toda opção é válida até uma certa data. Depois disso, ela “desaparece”. Essa é a data de vencimento. É por isso que dizem que depois do vencimento, a opção vira pó.

No caso do Neymar, a data de vencimento é o final de 2022.

Caso o Neymar só vire profissional em 2023, você já não tem mais o direito de comprar a chuteira dele por R$300, porque a data de vencimento já passou.

Como comprar e vender opções

O investidor não precisa exercer a opção, ou seja, comprar de fato o ativo que ele tem o direito. Ele pode vender esse contrato para uma outra pessoa. No exemplo do Neymar, seria como se você ao invés de comprar a chuteira a R$300 para revender depois, vender o próprio contrato e poupar tempo e esforço.

É importante que você entenda a diferença entre compra e venda de opções e opções de compra ou de venda.

Comprar opção é pagar pelo contrato que te dá o direito de comparar/vender um outro ativo a um determinado preço até determinada data. Esse ato de comprar/vender o ativo através da opção se chama “exercer a opção”.

Quando falamos em vender opções, é o ato de vender esse contrato para outra pessoa.

Tipos de opções

Opções de compra (Call)

Como o nome já diz, te dá o direito de comprar um ativo. É a opção que foi usada no caso do Neymar.

Vamos supor que PETR4 (símbolo da ação preferencial de Petrobras) está cotada a R$25. Digamos que você acredita que essa ação pode subir bastante nos próximos meses e chegar a R$30.

E que por isso, você compra uma opção de compra de PETR4 a R$28 com o prêmio de R$0,05. Parece ilógico comprar um direito de compra com um preço de exercício maior do que o atual, mas foi exatamente o que fizemos no exemplo do Neymar. O objetivo aqui é lucrar caso o preço da ação passe de R$28, porque essa opção vai se valorizar muito mais do que a própria ação.

Se essa ação chegar a R$30, quem investiu na ação quando ela estava a R$25, teve uma rentabilidade de 20%. Assumindo que o prêmio chegou a um valor de R$2.00 nesse caso, o que é bastante plausível, quem investiu na opção por R$0,05 teve uma rentabilidade de 4.000%.

Sim, isso significa que a pessoa que colocou R$200 nessa opção fechou a operação com R$8.000.

Opções de venda (Put)

A put é uma ferramenta capaz de lucrar quando um ativo perde valor. Ela é igual a call, só que na direção contrária.

Vamos supor que PETR4 está cotada a R$25 e você tem motivos para acreditar que o seu valor vá cair no futuro. O que você faz? Compra uma put de PETR4 a R$22, por exemplo. Ela garante que você pode vender PETR4 a R$22 se você quiser. É exatamente o mesmo caso. Parece meio ilógico ter a opção de vender algo que custa R$25 por R$22, mas isso se torna lógico caso PETR4 caia para R$20, por exemplo.

Nesse caso, você pode vender PETR4 a R$22, sendo que o valor de mercado dela é R$20.

O caso da put é um pouco mais complexo do que o da call, porque você pode simplesmente não ter PETR4 para vender, mas você resolve isso vendendo a opção, ao inves de exercê-la.

Opções americanas

Bandeira americana simbolizando opções americanas.

O nome parece confundir mais do que ajudar, mas a diferença entre uma opção americana e a européia é o momento que o investidor pode exercê-la.

A americana dá ao comprador o direito de exercer a opção a qualquer momento antes da data de vencimento.

Opções europeias

Bandeira da união europeia simbolizando opções européias

No caso da européia, o investidor só pode exercer a opção na data de vencimento.

É válido ressaltar que as opções podem ser vendidas antes. A opção européia ou americana dizem respeito ao exercício da opção, não à venda do contrato.

Vantagens

Potencial de retornos expressivos

Opções são muito mais voláteis do que ações. Isso significa que quando uma ação sobe, opções daquela ação tendem a subir muito mais (o mesmo acontece para baixo).

O máximo que se pode perder com opções é 100% do que foi investido (caso ela passe do vencimento). Do lado dos ganhos, não existe máximo que se pode ganhar com opções.

Existem casos onde investidores ganharam mais de 5.000% com opções, em momentos de alta volatilidade de ações, como quando o Pré-Sal foi descoberto.

Baixo custo para investir

As opções custam muito menos do que as ações. Por isso, você consegue investir em opções com muito menos capital.

Exemplo: Hoje (10/01/2019) a ação PETR4 abriu a R$25,26, enquanto a opção de comprar PETR4 a R$28,25 até o dia 20/01/2019 abriu a R$0,06.

Desvantagens

Risco

Quando uma opção passa da data de vencimento, ela perde 100% do seu valor. Isso é bastante impactante para um investidor desavisado. É por isso que opções são consideradas mais arriscadas que ações.

E é por isso também, que se deve investir no máximo uma pequena parcela do patrimônio em opções.

Complexidade

Opção é sempre complexa

O preço de uma ação varia de acordo com a oferta e a demanda do mercado por aquele papel.

O preço das opções varia de acordo com 6 variáveis (entre elas, o preço da ação). Por isso, é muito mais complexo entender se uma opção está barata ou cara. Isso inclusive rendeu um prêmio nobel para
Fischer Black e Myron Scholes que criaram uma equação para precificar opções.

Conclusão

Opções são um tipo de investimento que tem um potencial de retorno expressivo e que pode ajudar a alavancar a carteira de investimentos do investidor. Além disso, elas permitem que o investidor consiga lucrar quando o ativo sobe, por meio de Calls, mas também quando o ativo perde valor, por meio de Puts.

Por outro lado, as opções podem trazer perdas grandes caso o investidor não entenda o funcionamento delas. É por isso que sempre falam delas como sendo um investimento de alto risco (maior que ações).

#PraPreguiçosoLer

1- Opção é…

Um tipo de derivativo (seu preço deriva do preço de outro ativo) que dá o direito ao dono de comprar (ou vender) um ativo a um determinado preço (preço de exercício) até uma determinada data (data de vencimento).

2- Opções são arriscadas?

Sim. Para se ter uma noção, após a data de vencimento, a opção passa a valer 0, então é possível perder 100% do que se investiu nelas. Por outro lado, elas também são capazes de trazer retornos expressivos.

3- Como funciona?

Você adquire um contrato que te dá direito a comprar ou vender uma ação até uma determinada data. Até aquela data, você pode exercer, ou seja, comprar/vender aquele ativo por aquele preço (se for vantajoso) ou vender a própria opção. Depois daquela data de vencimento, o contrato deixa de valer.

4- Como eu compro uma opção?

Opções são negociadas através do Home Broker da corretora, assim como ações. A diferença é que o código de opções é diferente do que o código das ações.

Entendeu o que é uma opção? Ficou alguma dúvida? Quer saber mais a fundo? Deixa um comentário aqui embaixo.

57 / 75