Quem não conhece a máxima da teoria moderna de finanças que diz assim: “é fundamental diversificar os investimentos para diminuir os riscos e maximizar o seu retorno”?

Acontece que quem trabalha com outras coisas, não costuma ficar o dia inteiro focado em finanças e pode acabar esquecendo de diversificar seu portfólio.

Muitos são os questionamentos: Como diversificar da forma certa? Existe um limite em que diversificação começa a ficar ruim? Como escolher a melhor estratégia?

Hoje vamos falar um pouco sobre isso, em especial para quem está começando agora e precisa de uma ajudinha extra para diminuir os riscos na hora de começar a investir.

Por que diversificar?

Não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta.

Diversificação

O que deixar na poupança?

Por incrível que pareça os brasileiros que guardam algum dinheiro ainda estão muito focados em deixar as economias na poupança. Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), essa é a escolha de 65% das pessoas. Entre as justificativas usadas pelos entrevistados para não aplicar o dinheiro, listamos essas:

  • Preferência por aplicação que permita sacar com facilidade (28%)
  • Não ter sobras para procurar outros investimentos (28%)
  • Costume (20%)
  • Medo de perder dinheiro (17%)

É importante saber que o hábito de guardar poupança não precisa ser totalmente excluído da sua vida.

Nela você pode depositar valores guardados para emergências e que precisam de liquidez imediata. Ou seja, aquela quantia que você precisa ter disponível para sacar a qualquer momento.

Mas é importante que isso seja apenas uma parte de seu patrimônio, para que você possa aplicar em ativos de mais rentabilidade também.

A insegurança mora ao lado

Já falamos antes também que como o mercado financeiro é muito dinâmico, não é raro um ótimo ativo se tornar péssimo de uma hora para outra.

Isso gera muito insegurança: o que leva o investidor iniciante ou inabitual a não querer concentrar todos os seus investimentos em ativos de renda variável, mesmo que sejam os mais rentáveis.

Poucos se arriscam a sair logo de cara se expondo à volatilidade, correndo o risco de grandes perdas.

O poder da renda fixa

Por outro lado, também estamos cansados de mencionar o poder da renda fixa.

Ela é uma ótima alternativa tanto para quem está começando agora, quanto para o investidor com um pouco mais de experiência que só precisa saber balancear sua carteira usando algumas das regras que ensinamos aqui.

Ter uma carteira composta apenas por investimentos de renda fixa, com aplicações como Certificado de Depósito Bancário (CDB) e Tesouro Direto, por exemplo, pode até representar correr menos riscos.

No entanto, a rentabilidade não será tão competitiva para quem é jovem e espera um retorno maior no longo prazo.

Diversificação até em investimentos não habituais

Nós do Real Valor passamos por um processo de aceleração de startups da ACE. A ACE era uma aceleradora de startups e hoje trabalha como um fundo focado em investir em startups.

Startup é uma instituição desenhada para entregar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza.

Eric Ries

Por um lado, investir em startups tem um potencial de trazer grandes retornos, como no caso do Uber. Quem investiu no começo U$ 25.000 viu seu investimento multiplicar quase 5000x e saiu com U$ 124 milhões.

Mas investir também tem o outro lado: risco. Muitas startups e empresas acabam falindo e fazendo com que o investimento não produza os rendimentos planejados.

Para isso, a ACE, por exemplo, não investe em 1 ou 2 startups. Ela investe em um portfólio diversificado, pois sabe do risco. Essa é a importância da diversificação.

Uma dica versátil

A diversificação é mesmo uma estratégia tão poderosa que vale para tudo na vida.

Ela ajuda a tornar nossos relacionamentos em geral mais interessantes, a alimentação mais saudável e a mente em paz.

Estrogonofe é um prato gostoso. Mas imagina comer estrogonofe todo dia. Não tem como dar certo, né? Até na alimentação diária é importante diversificar.

E ela tanto serve para o investimento no mercado financeiro, como em startups e ainda por cima para quem investe em imóveis.

Além de trazer mais segurança para o caso de um acidente, ter imóveis diversificados (uma casa, um flat e uma sala comercial, por exemplo), pode te garantir a liquidez necessária para vender um deles mais rapidamente.

O que não acontece se você possuir três casas no mesmo condomínio.

Outras vantagens de diversificar

Foi fácil perceber que balancear os investimentos é tão importante como o balanceamento de um carro: um processo de compensação feito para equilibrar o conjunto de pneu e rodas do veículo.

Ou seja: estamos falando de um cuidado importante para evitar o desgaste prematuro tanto dos pneus, como dos componentes da suspensão e da direção.

É que graças ao balanceamento, é possível suprimir as trepidações do mercado que possam provocar perdas gigantescas.

Diversificação é como balancear o carro

Mas, além disso, a diversificação permite a aprendizagem (que gera dinheiro no longo prazo no mercado).

Enquanto cuidamos de diversificar os ativos, aprendemos mais sobre essa nova estrada e perdemos o medo de dirigir os primeiros aportes.

E assim você aprenderá inclusive que diferentemente dos carros, no mercado financeiro você calibra cada pneu conforme o ativo, sem alocar o mesmo valor para cada tipo de investimento.

Assim como na vida: há sempre dois pesos e duas medidas para cada situação.

Isso torna a tarefa um pouco mais complicada e é justamente por essa razão que você precisa de copiloto. E estudo!

Carteira diversificada

Suponhamos que com mais tempo de estrada você decide diversificar. Poderá tanto continuar na renda fixa quanto comprar mais ações e investir em fundos. Para isso, poderá consultar os investimentos sugeridos em cada fase da vida. E garantimos que você encontrará aqui todas as orientações de que precisará para conduzir seus ativos.

Por ora, o importante é você saber que está caminhando passo a passo para se tornar um investidor de sucesso. E para isso não adianta pular etapas, ou colocará tudo a perder.

Informação é a chave

Para girar a chave e acionar essa ignição, você precisará de uma chave indispensável.

Tanto na hora de escolher investimentos, quanto na hora de acompanhar investimentos. Isso por que, com riqueza de informação, um investidor consegue fazer melhores investimentos.

O Real Valor serve justamente para trazer essa riqueza de informações no acompanhamento de investimentos.