Não existe investimento bom e investimento ruim. Tudo depende: qual o objetivo? Qual o apetite a risco? Quando vai resgatar? E por ai vai…

Com previdência privada não é diferente.

Esse tipo de investimento pode ser muito rentável se feito da forma certa e péssimo se investido de forma errada. O objetivo desse post é mostrar algumas situações em que Previdência Privada se sobressai como um excelente tipo de investimento.

Se você ainda não sabe como funciona previdência privada, pode ser uma boa dar uma lida no guia completo que fizemos aqui no Blog.

Quando previdência privada faz sentido

Quando a empresa contribui

Existem empresas que possuem um plano de previdência junto com o colaborador. O que acontece na prática é que todo mês o colaborador investe um pouco para o seu plano de aposentadoria (descontado no contra cheque) e a empresa aproveita para aportar uma quantia para o colaborador.

Já viu o quão boa é essa situação? Vamos supor que você investe R$200 por mês e a empresa aporta mais R$200. Se o fundo de previdência tiver rentabilidade zero, você vai ter 100% de ganho entre o investido e o resgatado.

Num caso real, com rentabilidade positiva, os números começam a ficar mais interessantes.

Nesse mesmo exemplo, com aportes de R$200, vamos comparar 2 casos:

  1. Empresa aporta o mesmo valor
  2. Empresa não aporta nada

Digamos que o fundo rende 10% ao ano para facilitar contas.

Ao final de 15 anos, o colaborador com a ajuda da empresa tem R$159.377, sendo que ele aportou R$36.000. Isso é um crescimento de 4,4 vezes. Já o colaborador que não teve ajuda da empresa terá R$79.688, ou seja um crescimento 2,2.

Diferença de rentabilidade quando empresa contribui
Investido pelo colaboradorR$ 36.000
Caso 1 (com aporte da empresa)R$ 159.377,6 (+440%)
Caso 2 (sem aporte da empresa)R$ 79.688,8 (+220%)

Para o segundo caso, a previdência privada talvez não seja um investimento tão vantajoso. Ele poderia conseguir rentabilidades maiores em outros produtos. Para o primeiro, a previdência com certeza faz sentido.

Quando você quer investimentos de longo prazo (mais de 10 anos)

Todo mundo fala da importância de ter uma reserva de emergência nos investimentos. Isto é, uma quantia em investimentos de alta liquidez para caso precise do dinheiro no curto prazo.

O que poucas pessoas falam é que também é importantíssimo ter dinheiro em ativos de mais longo prazo, pois eles costumam ter rentabilidades muito melhores.

Previdência faz sentido no longo prazo

Quando pensamos em um prazo para resgate de mais de 10 anos, previdência privada passa a ser uma ótima ideia.

Fazendo um plano VGBL com tabela regressiva, você consegue resgatar o dinheiro depois de 10 anos pagando só 10% de imposto de renda. Para se ter uma noção, no mesmo prazo, tesouro diretos, CDBs e Fundos de investimentos pagam no mínimo 15%.

Sabe que que isso significa? 5% a mais de rentabilidade só por causa de benefícios fiscais.

Já ouviu dizer que investir em tesouro direto é muito melhor do que a poupança? A poupança hoje está rendendo 4,55% e o tesouro Selic 6,5% ao ano.

Investindo no longo prazo em fundos de previdência, você consegue uma vantagem maior (5 pontos percentuais) do que a de sair da poupança e ir para o tesouro direto.

O ser humano tem bastante dificuldade de pensar no longo prazo. É normal. Mas os que conseguem se planejar levando em conta o longo prazo conseguem chegar a independência financeira muito mais cedo.

Exemplo prático

Vamos supor dois amigos: o Guilherme👨 e o Marcelo🙍‍♂️.

Guilherme👨 pensa no longo prazo e sabe que previdência é um investimento que faz sentido. Por isso, investe num fundo de previdência para resgatar daqui a 10 anos.

Marcelo🙍‍♂️ pensa mais no curto prazo. Ele nunca investe em renda fixa com resgate maior do que 1 ano. Vamos supor que o fundo e o CDB tem a mesma rentabilidade para facilitar as contas: 10% ao ano (geralmente investimentos de curto prazo acabam tendo rentabilidade menor).

Guilherme👨 colocou R$100.000 em no fundo de previdência e Marcelo🙍‍♂️ colocou R$100.000 num CDB e foi comprando novos CDBs iguais assim que esses venciam. Guilherme👨 resgata R$ 243.436. Já Marcelo🙍‍♂️, só R$ 231.483. Esses R$12.000 são o custo de não pensar no longo prazo. Lembre-se que nesse exemplo, para facilitar, o fundo e o CDB rendiam a mesma coisa.

Sucessão patrimonial

Poucas pessoas no Brasil planejam a sucessão patrimonial. O resultado disso é que uma boa parte da herança acaba ficando pelo caminho na forma de:

  1. Honorários a advogados (Geralmente de 8 a 10%)
  2. Custos de cartório
  3. Impostos (ITCMD é de 4% no estado de São Paulo)

A previdência é uma ótima ideia para quem está pensando em sucessão patrimonial por dois grandes motivos.

Rapidez

No Brasil, a transmissão de herança para os beneficiários costuma demorar de 90 dias até anos. No caso da sucessão por previdência privada, o dinheiro é transferido diretamente para os beneficiários num prazo de até 5 dias úteis.

Dias para sucessão com previdência

Custos

Se os principais custos na transmissão de herança são honorários a advogados, custos do cartório e Imposto de Transmissão de Causa Mortis e Doações, a previdência privada traz uma excelente notícia. As reservas do plano são transmitidas aos beneficiários sem nenhum desses custos.

Conclusão

Previdência privada é um investimento que faz muito sentido em alguns casos e nem tanto em outros. Se você souber como usar previdência privada como um investimento a seu favor, ela tem uma capacidade de propulsionar a sua independência financeira e garantir uma sucessão patrimonial tranquila.