fbpx
Usar de graça Acesse sua conta

Taxa Selic foi cortada para 2%. O que isso muda?!

Quem acompanha os investimentos já deve ter visto nos jornais e nos sites de notícias: Selic cortada para 2%. Mas o que que isso significa na prática?

O que selic muda?

Primeiro precisamos lembrar o que é a Selic. Ela é a taxa básica de juros do Brasil. O que significa que é a taxa pela qual o governo toma “empréstimo” para fazer o que precisa fazer.

Eu escrevi um texto para falar especificamente da Selic aqui.

Esse empréstimo nada mais é do que o Tesouro Direto, mas especificamente, o Tesouro Selic.

Quer saber mais de tesouro direto, dá uma lida no melhor de post de tesouro da internet.

O governo é usado como benchmark de segurança em qualquer investimento em renda fixa. Basicamente porque é mais difícil um país quebrar do que um banco ou uma empresa quebrarem.

Por causa disso, a rentabilidade da renda fixa privada tende a acompanhar as tendências da Selic. Ou seja, quando a taxa de juros cai, CDI também cai.

Mas em que isso impacta a minha vida?

Tentativa de frear os impactos do Corona Vírus

Nas condições normais de mercado, a taxa Selic é cortada com algumas finalidades. No caso da reunião do Copom de ontem foi um pouco diferente.

Estamos diante de um cenário em que se está freando tudo. Todo mundo está trabalhando de casa, o consumo diminui, a produção diminui, e assim por diante. Além da inflação projetada também ter caído abaixo da meta.

Esse comportamento de abaixar as taxas de juros tem sido realizado em outras partes do mundo também como uma forma de tentar segurar a queda das bolsas e controlar a queda de inflação.

Nas condições normais, uma Selic menor impacta em algumas coisas:

1- Renda fixa menos rentável

No governo Dilma, a taxa Selic era de 14,25%. Você conseguia investir com baixíssimo risco e ser remunerado em 14,25% ao ano. Hoje, o mesmo investimento rende 2%.

Isso acaba levando os investidores a assumirem mais risco atrás de rentabilidades maiores. Muitos investidores acabam indo para o mercado de renda variável em busca dessa rentabilidade.

2- Taxa de adm ficando cara

Taxas de administração de 2% começam a ficar muito caras. Sabe aquele fundo multimercado que tem uma taxa de administração de 2%?

Ela equivale a taxa Selic. A tendência é que os fundos que não conseguirem performar MUITO bem tenham que abaixar essas taxas de administração para continuar atrativos.

3- Bolsa tende a subir (mas coronavírus é um driver mais forte do que taxa de juros nesse momento)

A Bolsa deve subir. Como impacto direto do ponto 1, mais dinheiro flui da renda fixa para a renda variável. Uma maior procura por ações eleva o preço delas.

O gráfico abaixo mostra a correlação entre o Ibovespa e a Selic. Quando a Selic estava no máximo, o Ibovespa estava no mínimo e vice versa.

Um dos resultados é que começa a ser mais atrativo para uma empresa emitir novas ações para captar dinheiro porque o preço está maior. Assim, as empresas conseguem se capitalizar mais fácil. Empresas capitalizadas significa possibilidade de construir fábricas, contratar, inaugurar outros escritórios, etc. Já entendeu o que eu quero dizer aqui né?

A tendência de médio prazo num corte de Selic é aumentar a taxa de empregos do país.

4- Poupança rendendo menos ainda

Poupança rende 70% da Selic, ou seja, passa a render menos ainda. Com a taxa a 4,5%, a poupança rendia rendia 3,15% ao ano. Com os recentes cortes, passou a render 2,625%, caiu para 1,575% e agora chegamos a 1,4% ao ano.

Lembra que eu falei que o governo é um dos investimentos de menor risco e que ele paga a taxa Selic? Ela está em 2%.

Não tem porque investir numa poupança que rende 1,4% se você pode investir com risco igual ou menor no tesouro e ter rentabilidade de 2%.

Conclusão

A Selic interfere na vida de todo brasileiro, não importa quem. Fiz esse texto para tentar passar um panorama do que acontece quando sai uma notícia como essa de que a Selic foi cortada.

E ai? Acredita que esse corte de Selic foi bom ou ruim?

Tags In
158 / 171