« Back to Glossary Index

Você sabe o que significa o conceito de montante? Será um monte grande?

Não, na verdade é o conceito mais básico da educação financeira. Vem que eu te explico!

O que é montante?

Montante nada mais é que um valor acumulado final de uma operação financeira. Ou seja, é o dinheiro que você tinha lá no começo da operação + os juros que renderam em cima desse dinheiro durante um período de tempo.

Montante de dinheiro

Se você já começou a estudar sobre mercado financeiro, deve ter se deparado com os investimentos de renda fixa. Aplicações em renda fixa são investimentos que você, na hora da compra, já sabe a rentabilidade (taxa de juros) final que vai ser aplicada no seu capital.

Nesses tipos de investimentos, conseguimos usar a matemática financeira para calcular o valor final desse investimento, ou seja, o montante.

Cálculo do montante

Como foi dito antes, o montante consiste na soma do capital inicial aos juros dentro de um período analisado:

Montante = Capital Inicial + Juros

O capital inicial é simplesmente o valor antes da operação ser feita, ou seja, o quanto você tinha de dinheiro antes. Mas e os juros?

Os juros podem ser divididos em duas categorias diferentes e, para cada uma, existe uma forma única de calcular o seu valor:

  • Juros Simples
  • Juros Compostos

Cálculo com Juros Simples

Como o nome já diz, esse é um modelo mais simples da operação. Os juros podem ser calculados pela seguinte fórmula:

Juros = Capital Inicial * Taxa de Juros * Tempo

Note que o tempo deve estar com a mesma unidade do período da taxa de juros.

Em seguida, só precisamos acrescentar os juros calculados ao capital inicial. Vamos ver um exemplo:

Meu amigo Renan me emprestou R$1.200,00 à uma taxa de juros simples de 3% ao mês, durante 5 meses. Qual foi o montante recebido por Renan?

Juros = 1.200 * 0,03 * 5

Juros = 180

Montante = 1.200 + 180

Montante = R$1.380,00

Bem tranquilo, né? Vamos passar agora para o cálculo com juros compostos.

Cálculo com Juros Compostos

As situações com juros compostos são muito mais comuns no nosso dia a dia, principalmente quando falamos sobre investimentos. Ele segue a seguinte fórmula:

Montante = Capital Inicial * (1 + Taxa de Juros) ^ Tempo

Não se preocupa, apesar de um pouco mais complexo que os Juros Simples, não é nenhum bicho de sete cabeças.

A principal diferença entre os juros simples e compostos é que, nesse último, os juros são aplicados constantemente em cima do acumulado e não só no capital inicial. Vem comigo nesse exemplo:

Digamos que, ao invés de me emprestar R$1.200,00, meu amigo Renan aplique esse dinheiro em um investimento de renda fixa – dos sonhos – à uma taxa de juros compostos de 3% ao mês durante 5 meses. Quanto será o montante dele após esse tempo?

Montante = 1.200 * (1 + 0,03) ^ 5

Montante = 1.200 * 1,159

Montante = R$1.391,13

Percebeu como o montante por juros compostos teve um valor um pouco maior do que pelos juros simples a partir do mesmo período e taxa?

Comparação Juros Simples e Juros Compostos

Vamos expandir esse exemplo do meu amigo Renan para um maior período. Ao invés de considerarmos 5 meses, vamos olhar para 5 anos. Esses são os resultados:

Sim! A diferença ficou ainda maior entre eles. Isso acontece justamente porque a fórmula de Juros Compostos é uma função exponencial, enquanto a de Juros Simples não é. Isso nos diz uma coisa importante:

Ao fixarmos o valor da taxa de juros e o espaço de tempo, teremos sempre um maior montante ao tratarmos de Juros Compostos.

Felizmente, grande parte dos investimentos são trabalhados em cima de Juros Compostos!

Com o App do Real Valor você consegue acompanhar o seu verdadeiro montante de pertinho!

Disponível para Android, IOS e na Web, 100% de graça!

« Back to Glossary Index