Smart Coins

Quem acompanha o mercado de cripto ativos, com certeza se deparou em 2021 com o termo smart coins. Mas afinal de contas o que são? Como surgiram? Qual o objetivo?

Quando falamos de smart coins estamos nos referindo às moedas por trás de plataformas de desenvolvimento descentralizadas. Basicamente esse termo se refere aos projetos de criptomoedas que tem como foco oferecer uma blockchain onde seja possível criar contratos inteligentes.

Isso significa dizer que as smart coins são as moedas por trás dos projetos de smart contracts.

Mas afinal o que são contratos inteligentes (smart contracts)?

Smart contract são códigos escritos por desenvolvedores que têm uma lógica de negócio por trás. Ou seja, códigos que são executados em alguma rede de blockchain e que persistem dentro da blockchain.

Os smart contracts permitem que sejam criados dApp, ou seja, aplicações descentralizadas.

De onde surgiu a ideia de descentralização, smart contract e smart coins?

Vamos voltar um pouco no tempo para entender: entre 2008 e 2013 o maior e mais relevante projeto em cripto era o Bitcoin, e vamos combinar que continua sendo.

Entretanto, o Bitcoin tem como proposta ser somente um sistema de transferência monetário peer-to-peer (um sistema de pagamento e transferência).

Pausa para explicar peer-to-peer:

A tradução de peer-to-peer é “ponto a ponto”, ou seja, significa que os computadores dos usuários, que são os “pontos”, conectam-se entre si formando uma rede descentralizada.

O Bitcoin era usado para pagar os mineradores da blockchain desenvolvida por Satoshi Nakamoto, pseudônimo utilizado pela pessoa ou pessoas que criaram a moeda virtual Bitcoin.

Entretanto, surge nessa história um cara muito importante chamado Vitalik Buterin.

Buterin propôs uma plataforma programável em que desenvolvedores podem criar códigos para interagir com a blockchain. E assim surgiu a Ethereum.

Veja, o projeto da Ethereum foi o precursor do uso dos smart contracts dentro da blockchain, e uma nova geração de projetos e redes surgiram depois disso.

Pode-se até dizer que esse foi o nascimento de uma segunda geração de blockchains!

Assim, quando falamos de smart coins estamos nos referindo às moedas por trás de plataformas de desenvolvimento descentralizadas.

Uma plataforma descentralizada é como se fosse um computador em que você pode rodar diversas aplicações. É como se você pagasse o aluguel para ter a permissão de usar o poder computacional da estrutura de dados dessa rede.

Esse aluguel é pago por um ativo que é nativo da plataforma que se está usando. Esse ativo é o que chamamos de smart coins.

Por exemplo, a rede mais conhecida é Ethereum e a smart coin do projeto é ETH. Ou seja, para usar a rede Ethereum para desenvolver aplicações, você necessariamente precisa ter o ativo ether.

Exemplo de smart coins e seus projetos (não é recomendação de compra e venda):

Projeto Moeda
Ethereum ETH
Solana SOL
Cardano ADA
Fantom FTM
Não é indicação de compra ou venda.

Esses projetos geralmente possuem moedas nativas como as que foram listadas, o mais interessante por trás desses projetos das smart coins é que eles propõem a criação de dApp (escrito assim mesmo, pois significam Aplicações descentralizadas). Imagina que você queira criar sua própria loteria. Isso seria um máximo, não é mesmo? A verdade é que você pode fazer isso nos projetos das Smart coins!

Cada moeda tem um projeto por trás, mas a grande verdade é que todos querem chegar onde a Ethereum chegou. Por isso que muitos desses projetos são chamados de “Ethereum Killers”

Resumindo

  1. Smart Contracts são códigos desenvolvidos que seguem uma lógica de negócio (Pelo fato da rede ser descentralizada, podemos falar que a lógica de negócio também é)
  2. Para utilizar essas estruturas descentralizadas, é preciso “pagar um aluguel”.
  3. Esse pagamento é feito através das criptomoedas nativas de cada projeto
  4. Essas moedas são chamadas de smart coins.

Toda essa nova onda do mercado de cripto como Defi, NFT e “game coins”, na maioria desses projetos são todos sustentados por plataformas como Ethereum, Solana e etc.

Esses projetos são os alicerces das aplicações descentralizadas!

Caso você queira investir no core das criptomoedas, essa é sua oportunidade! Assine o exponential coins e conheça as teses por trás das smart coins!