Small Caps, Blue Chips e Microcaps: entenda a diferença entre essas ações

O mercado financeiro, muitas vezes, parece ter o seu próprio idioma. Você já ouviu falar em Small Caps, Microcaps e Blue Chips, por exemplo? À primeira vista, esses termos podem assustar o investidor de primeira viagem.

E é por isso que estamos aqui: para ajudar você a entender de uma vez por todas essas expressões e ficar por dentro. Pensando nisso, decidi escrever sobre alguns termos do mercado financeiro.

Vou te contar o que são as Small Caps, Blue Chips e Microcaps, quais as vantagens e desvantagens bem como a diferença entre elas. Além disso, você vai entender o que considerar ao escolher ações dessas categorias para compor a sua carteira. 

Porque a bolsa de valores classifica as ações em Small Caps, Microcaps e Blue Chips? 

A Bolsa de Valores oferece uma variedade de ações. Nesse sentido, podemos encontrar papéis de empresas de tamanhos diferentes, dos mais variados setores e com patrimônios distintos.

Todas essas características fazem com que as ações dessas companhias tenham um comportamento diferente. Por exemplo, elas podem ser mais, ou menos voláteis.

Em outras palavras, volatilidade mede a variação do preço de uma ação. Assim, quando um papel sobe e desce rapidamente, dizemos que ele é mais volátil e vice-versa.

Dessa forma, esse indicador nos ajuda até uma ideia do risco que um ativo oferece. Além disso, elas podem apresentar uma liquidez maior ou menor. 

Liquidez é o termo usado no mercado financeiro para se referir a facilidade de comprar e vender um ativo. Assim, quanto mais fácil é para negociar uma ação mais liquidez ela tem.

Nesse sentido, as classificações ajudam os investidores a entender o que esperar de um determinado papel e a montar uma carteira sólida que supere os índices do mercado.

Qual a diferença entre Blue Chips, Small Caps e Microcaps?

Dentre as classificações utilizadas no mercado financeiro, blue chips, small caps e microcaps são as mais conhecidas.  Assim, para você ficar por dentro do que representa cada uma dessas, vamos explicar os conceitos e as diferenças entre elas. Vem ver! .  

Small Caps

O termo small cap é uma abreviação que quer dizer “small capitalization”. Traduzindo para o nosso idioma significa pequena capitalização. Ou seja, são ações de empresas com um valor de mercado pequeno, em média de US$ 300 milhões a US$ 2bi. 

Isso mesmo, embora os números pareçam altos, no universo financeiro trata-se de quantias pequenas. Assim, são incluídos nesse grupo os papéis de empresas que são novas e não são líderes de mercado.

Ou que já existem há mais tempo, porém fazem parte de um setor pequeno. Assim, a vantagem de investir em uma small cap é que ela oferece um maior potencial de crescimento e valorização em comparação com ações de empresas com alto valor de mercado.

Por outro lado, há também riscos nesses papéis. O principal deles é a baixa liquidez. Ou seja, as small caps tem um número de negociações menores. Isso quer dizer que, talvez não seja possível vender o ativo na hora em que você desejar. 

Blue Chips 

Você já jogou poker? Se sim, provavelmente sabe que os participantes usam fichas de várias cores para apostar e as de cor azul são as de maior valor. É daí que o mercado financeiro criou uma analogia para grandes empresas listadas na bolsa.

Ou seja, blue chips é o termo utilizado para denominar as ações de companhias com alto valor de mercado. Assim, podem ser consideradas blue chips as empresas com valor de mercado entre US$ 10bi e US$ 200bi.

Outra característica dessas ações é que elas estão geralmente ligadas a empresas bastante conhecidas, já consolidadas no mercado e muitas vezes, líderes do setor em que atuam. Nesse sentido, as principais vantagens das blue chips são: 

  • Crescimento constante; 
  • Alta liquidez; 
  • Distribuição de lucros.

Outra vantagem importante das blue chips é a correlação direta com o Ibovespa, o índice da bolsa brasileira. Boa parte das ações que compõe a carteira do IBOV são de empresas de alto valor de mercado.

Assim, o índice tende a seguir a movimentação desses papéis, dando uma segurança maior aos investidores. Por outro lado, as ações blue chips também tem características que não são tão interessantes.

Como disse, esses papéis são de empresas grandes e consolidadas no mercado. Assim, o crescimento desses ativos costuma ser mais estável, sem valorizações repentinas no curto e médio prazo. 

Microcaps

Uma terceira classificação de ações são as microcaps. Neste grupo estão as menores empresas listadas na bolsa de valores. Em geral, fazem parte dessa categoria companhias o cujo valor de mercado está abaixo de R$ 300 milhões.

Por isso, elas são consideradas estreantes, tanto em seus setores quanto na bolsa. Diferente das blue chips, boa parte das instituições nessa categoria ainda são desconhecidas pela maioria das pessoas.

Por se tratar de empresas pequenas, as ações microcaps podem oferecer um grande potencial de valorização. Afinal, a companhia ainda tem um caminho para trilhar, ou seja, tem “espaço” para crescer e esse movimento pode refletir positivamente no valor do ativo. 

Outra vantagem é que, por se tratar de empresas pouco conhecidas o mercado ainda não descobriu o seu potencial. Logo, você pode aproveitar o preço baixo para garantir posições e se beneficiar do movimento de valorização do ativo.

Há também a chance da companhia ser adquirida por outra de maior porte. Assim como nas small caps e blue chips existem alguns riscos que o investidor deve conhecer antes de comprar microcaps.

Por se tratar de empresas novas, a falta de conhecimento por parte do mercado gera certa desconfiança. Esse sentimento faz com que os investidores queiram se desfazer das ações a qualquer movimento “suspeito”, gerando um efeito manada. 

Por esse motivo, as ações microcaps tendem a ser mais voláteis. Ou seja, fatores pontuais podem causar variações bruscas no preço do ativo. Como consequência, os investidores podem enfrentar uma certa dificuldade em se desfazer desses papéis.

Afinal, em alguns casos a liquidez é mais baixa. Como o valor do ativo pode cair rapidamente, os investidores perdem o interesse, dificultando a venda em um momento de crise. 

Microcaps, Blue Chips ou Small Caps: qual delas incluir na sua carteira?

Agora que você já sabe o que são as small caps, blue chips e microcaps deve estar se perguntando qual categoria de ação comprar. Essa é uma dúvida comum, especialmente entre investidores iniciantes.

Melhor do que prever qual o melhor ativo para se ter na carteira ou aquele que vai foguetear, é ter uma carteira balanceada com ativos que podem se complementar. 

Seja blue chips, small caps ou microcaps, todas têm vantagens e desvantagens. Logo, é muito importante conhecer o seu perfil de investidor. Ou seja, você precisa responder as seguintes perguntas:

  • Qual a sua experiência com o mercado de renda variável?
  • Qual o seu objetivo com os investimentos?
  • Como você lida com o risco de perder dinheiro?
  • Qual estratégia vai adotar?

Responder essas perguntas pode dar a você um bom indicativo. Em geral, pessoas que estão começando a investir e são mais conservadoras costumam preferir ações de empresas conhecidas. Ou seja, as blue chips. O mesmo vale para quem busca dividendos. 

Por outro lado, quem já está há algum tempo no mercado e consegue administrar bem os riscos de uma carteira mais volátil pode optar por mais ações small caps e microcaps. Assim, o investidor tem a chance de conseguir retornos mais interessantes em um curto prazo. 

Diversificação da carteira

Ainda sobre a escolha de ativos não podemos esquecer da importância de diversificar a carteira. Ou seja, alocar o seu dinheiro em produtos variados. Nesse sentido, pode ser interessante incluir small caps, blue chips e microcaps.

Assim, você consegue ter um desempenho melhor em seus investimentos, aproveitando o potencial de lucro dos ativos mais voláteis e a solidez das grandes empresas. 

Como acompanhar o desempenho dessas ações? 

Blue caps, microcaps ou small caps, seja qual for a sua escolha, uma coisa é certa: você vai precisar de ajuda para gerenciar essas ações. Que tal contar com ajuda especializada? O Real Valor é um consolidador de investimentos, no app você consegue acompanhar todos os ativos da sua carteira. 

Assim, é possível ter uma visão completa do desempenho dos seus investimentos. E  o melhor: você tem acesso a todas essas informações sem precisar fazer cálculos.

No Real Valor os dados são atualizados automaticamente. Além disso, é possível comparar os seus resultados com os principais benchmarks do mercado (Ibovespa, CDI, IPCA, dólar entre outros). 

BAIXE GRATUITAMENTE O APP REAL VALOR