Entenda aqui

Diferença entre AUM (Assets Under Management) e AUC (Assets Under Custody)

Se você acompanha o noticiário financeiro e faz investimentos, já deve ter se deparado com os termos AUM (Assets Under Management) e AUC (Assets Under Custody).

Esses termos se traduzem em “ativos sob gestão” e “ativos sob custódia”, respectivamente. Eles costumam causar uma certa confusão para diversos investidores.

O que são Assets Under Management (AUM)?

Os “ativos sob gestão” são o conjunto de todos os ativos que uma instituição administra ‒ ações e títulos, por exemplo.

Trata-se do volume financeiro de todos os ativos que compõem suas estratégias dos fundos de investimento, carteiras administradas e outros produtos.

Cada instituição (bancos e gestoras de recursos ou assets) tem um cálculo próprio para o AUM. É preciso entender o que está por trás do número antes de fazer comparações entre diferentes empresas.

Muitos investidores consideram que, quanto mais alto o AUM, maior a competência da empresa para gerir e administrar ativos.

O que são Assets Under Custody (AUC)?

Os ativos sob custódia são o conjunto de recursos investidos nos produtos que instituições financeiras oferecem.

As custodiantes negociam em nome do cliente, quando ele dá a ordem para tal, diferente do que acontece nas gestoras de recursos, nas quais o gestor tem autonomia para tomar decisões de investimento.

As assessorias de investimentos ou escritórios de agentes autônomos também têm ativos sob custódia que representam os produtos que eles venderam no mercado.

No entanto, essas instituições estão apenas na ponta comercial e não podem fazer a gestão dos recursos.

O que é custódia?

De forma simples, a custódia é um serviço de guarda. Os títulos e ativos são depositados em nome do investidor, ficando sob responsabilidade da instituição.

A instituição custodiante, portanto, é aquela responsável por guardar os ativos financeiros e negociá-los conforme determinação do cliente.

Qual a principal diferença entre AUM e AUC?

As instituições financeiras têm poder discricionário sob os AUM, ou seja, elas podem administrar esses ativos conforme suas teses de investimentos.

É o que acontece quando um investidor compra cotas de um fundo, por exemplo. Depositando uma certa quantia, o investidor delega ao gestor a responsabilidade de comprar e vender ativos.

Isso não pode acontecer com os AUCs, já que o papel da instituição é apenas guardá-los para você e não tomar decisões sobre a administração deles.

Saber a diferença entre os ativos é importante para entender melhor o mercado financeiro e também o noticiário. Além disso, ter noções de AUM e AUC pode ser útil para avaliar gestoras e custodiantes.

Outro ponto importante é acompanhar a performance dos seus ativos. Foi para isso que surgiu o Real Valor, aplicativo moderno e prático para monitorar o resultado da sua carteira de investimentos.

 Fazer o acompanhamento dos seus investimentos nunca foi tão fácil com o Real Valor!

Baixe agora