Alcançar a independência financeira nunca foi tão fácil

Renda Passiva

Alcançar a independência financeira parece ser algo extremamente complicado, que poucos conseguem atingir.

No fim, tudo se resume a uma conta simples de Receitas – Despesas.

A verdade é que não é tão complicado quanto parece, embora exija um pouco de estudo, comprometimento e paciência.

Se suas receitas são maiores que suas despesas, você atingiu, de certa forma, a independência financeira.

Renda Passiva

Renda Ativa

Existem dois tipos de receita, ou renda:

Renda Ativa

é a principal fonte de receita que nós pensamos quando imaginamos o difícil caminho em direção à independência. A renda ativa é aquele dinheiro que nós recebemos por algum esforço.

É o salário que recebemos mensalmente por executarmos algum trabalho. A regra é simples. Se você trabalhar, vai ganhar o dinheiro. Se não trabalhar, não ganha.

Renda Passiva

Esse tipo de renda existe mesmo sem você se esforçar diariamente. Warren Buffet diz que se você não descobrir uma forma de fazer dinheiro enquanto dorme, vai ter que trabalhar até morrer.

Vamos olhar para alguns dos diversos tipos de renda passiva que existem.

Tipos de Renda Passiva

Quando você investe, seja por crédito ou participação, você está emprestando dinheiro para quem precisa de dinheiro para realizar algum empreendimento, negócio, tarefa.

Investimentos

Essa pessoa ou instituição vai se encarregar de usar esse dinheiro para render frutos no futuro. Você receberá um pedaço desses frutos futuros.

Um músico que cria um hit tem direito de receber uma receita toda vez que essa música é tocada em festas, propagandas, etc.

Royalties

Ele tem direito a receber um percentual de cada venda de CD ou por cada vez que sua música é tocada em Apps de streaming. O músico se esforçou para criar a música, e depois obteve renda passiva dela.

Caso clássico brasileiro. Você compra um apartamento, faz uma reforma e depois o coloca para alugar. A partir daí, ele gera uma renda passiva mensalmente, quando o inquilino paga o aluguel.

Aluguel

É claro que existem diversas formas de se obter uma renda passiva, mas quais delas são as mais comuns entre os brasileiros?

Os investimentos para renda passiva mais procurados

Fundos imobiliários

funcionam como se você fosse dono de bens imobiliários e recebesse aluguel por eles (existem alguns casos que são diferentes, mas não nos atentemos a eles).

Quando se investe num fundo imobiliário, ou FII, o investidor recebe proventos equivalentes a 95% do valor recebido de aluguel do fundo todo mês.

FIIs são excelentes pagadores de dividendos. Uma boa média de DY mensal de FII é entre 0,4% e 0,8%.

Tesouro Direto com Juros Semestrais

O Tesouro IPCA+ com juros semestrais e o Tesouro Prefixado com juros semestrais valorizam e desvalorizam de acordo com o mercado, assim como os sem juros semestrais.

A diferença é que duas vezes ao ano, eles pagam juros semestrais, que são análogos aos dividendos.

Um detalhe importante: os juros semestrais pagos pelos títulos do tesouro não são isentos de IR como os FIIs. Eles seguem a tabela regressiva de renda fixa.

Ações

Existem duas formas de fazer dinheiro com ações: valorização do papel e pagamento de dividendos.

Foquemos no pagamento de dividendos, porque traz dinheiro para a sua conta. A valorização do papel só vira dinheiro de fato no momento da venda do papel.

Empresas bem consolidadas, com fortes lucros tendem a distribuir uma parte desses lucros na forma de dividendos. Cada uma tem a sua própria política para fazer isso.

Renda Passiva é aquele dinheiro que você ganha sem um esforço direto. É onde devemos focar para atingir nossa independência financeira.

Investir garante uma renda passiva. Não se engane. No começo, ela costuma não ser expressiva, mas por seguir uma curva exponencial, no longo prazo a renda passiva tende a explodir.

Acompanhe sempre a rentabilidade dos seus investimentos com o Real Valor

Baixe agora